Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6870
Tipo do documento: Dissertação
Título: Cultura de consumo e virtualidade: problematização em torno dos jogos eletrônicos
Título(s) alternativo(s): Consumerist culture and virtuality: questionings around electronic games
Autor: Peccin, Mauricio Pessoa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/6231381917460522
Primeiro orientador: Santos, Goiamérico Felício Carneiro dos
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4360025460772301
Primeiro membro da banca: Santos , Goiamérico Felício Carneiro dos
Segundo membro da banca: Mendonça, Maria Luisa
Terceiro membro da banca: Fausto Neto, Tiago Quiroga
Resumo: Essa pesquisa tem como objetivo refletir sobre a crescente importância que a virtualidade, como conceituada por Baudrillard (1990; 1994; 2000), adquire no contexto cultural da Pós-Modernidade (LYOTARD, 1984; BAUMAN, 2007; LIPOVETSKY, 2007), majoritariamente compreendido por seus pesquisadores como a era do consumismo. As formas de vivência, conceituada a partir de Nietzsche (1998; 2000; 2004), possíveis no âmbito virtual diferem das possíveis no plano do real devido à natureza diferente dos espaços físico e de representação, segundo Lefebvre (1991). Com o advento das tecnologias de informação, como as mídias de massa e a inter net, desde o final do século XIX e o consequente aumento da presença da virtualidade no cotidiano, as possibilidades de vivência ganham uma dimensão nova difícil de ser observada devido à sua natureza subjetiva. Para superar esse aspecto elusivo, adotamos o uso dos jogos eletrônicos como ferramenta de observação. Produtos da cultura Pós-Moderna, tomamo-nos como bens culturais (GEERTZ, 1973) constituídos por discursos valiosos ao consumismo marcante dessa época, como descrito por Bauman, e aptos a iluminar o espaço virtual/de representação com maior clareza do que outras mídias por seu caráter interativo e responsivo. Buscamos verificar a validade teórica de nessa principal hipótese, a de que o contato tecnologicamente mediado com a virtualidade, uma instância estabelecida por formas de vivência distintas das experimentadas no real, tem ressonância na cultura, acirrando e acentuando seus aspectos consumistas por causa da dinâmica de reciprocidade estabelecida entre cultura e bens culturais. Para responder essa questão, empreendemos uma reflexão acerca da cultura Pós-Moderna e do magnetismo exercido pela virtualidade nos indivíduos que a constituem, evidenciado pelo sucesso comercial dos jogos eletrônicos. Acreditamos que seu poder de influência nesse contexto cultural esteja ligado ao que consideramos a utopia consumista: consumir por inteiro a realidade, traduzida em simulacro no espaço virtual.
Abstract: This research aims to reflect on the growing importance that virtuality, as conceptualized by Baudrillard (1990; 1994; 2000), acquires within the cultural context of Postmodernity (LYOTARD, 1984; Bauman, 2007; LIPOVETSKY, 2007), widely understood by its researchers as the age of consumerism. The forms of experience, as conceptualized by Nietzsche (1998; 2000; 2004), that are possible under the scope of the real differ from those of the virtual due to the different nature of physical spaces and spaces of representation, according to Lefebvre (1991). With the advent of information technology, such as the mass media and the internet, since the end of the 19th century and the consequent increase in the presence of virtuality in daily life, the possibilities to experience gain a new dimension that is difficult to observe due to its subjective nature. To overcome this elusive aspect, we have adopted the use of electronic games as a tool of observation. Products of post-modern culture, we take them as cultural assets (GEERTZ, 1973) made of valuable speeches to the striking consumerism that takes place nowadays, as described by Bauman, that are able to enlighten the nature of virtual space with greater clarity than other media for its interactive and responsive nature. We seek to check the theoretical validity of our main hypothesis, that the technologically mediated contact with virtuality, an instance established by different kinds of experiences than that of the real, has resonance in culture, intensifying and accentuating its consumerist aspects because of the reciprocal dynamic between culture and cultural assets. In order to answering this question, we undertake a reflection on postmodern culture and the magnetism exerted by virtuality in its individuals, made evident by the commercial success of electronic games. We believe that its power of influence in this cultural context is connected to what we consider to be the consumerist utopia: to consume all of reality, translated into it simulacrum in the virtual space.
Palavras-chave: Virtualidade
Cultura
Pós-modernidade
Jogos eletrônicos
Consumismo
Virtuality
Culture
Postmodernity
Electronic games
Consumerism
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC)
Citação: PECCIN, Mauricio Pessoa. Cultura de consumo e virtualidade: problematização em torno dos jogos eletrônicos. 2017. 130 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6870
Data de defesa: 2-Fev-2017
Aparece nas coleções:Mestrado em Comunicação (FIC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Mauricio Pessoa Peccin - 2017.pdf6,81 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons