Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7228
Tipo do documento: Tese
Título: A emergência do riso como enunciado
Título(s) alternativo(s): The emergence of laughter as an enunciated
Autor: Sousa, Waldênia Klésia Maciel Vargas
Primeiro orientador: Fernandes, Eliane Marquez da Fonseca
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/6909779518031618
Primeiro membro da banca: Fernandes, Eliane Marquez da Fonseca
Segundo membro da banca: Sousa, Kátia Menezes de
Terceiro membro da banca: Souza, Agostinho Potenciano de
Quarto membro da banca: Júnior, Antônio Fernandes
Quinto membro da banca: Baronas, Roberto Leiser
Resumo: A tese A emergência do riso como enunciado analisa o riso como materialidade enunciativa à luz dos estudos da Análise do Discurso de vertente francesa (PÊCHEUX, 1988; 1990a; 1990b), com recorrência a Michel Foucault (2009a; 2009b; 2009c; 2010) e a Mikhail Bakhtin (2003; 2006). Mobilizamos nesta pesquisa, em especial, a noção de enunciado como materialidade não verbal que pode ser interpretada pelos sujeitos e produz efeitos de sentido em dadas condições sóciohistóricas. Também refletimos sobre as noções de discurso, de formação discursiva, de saber, de poder, de sujeito, de efeito de verdade e como essas noções relacionam-se à análise do material não verbal que é o riso. Recorremos aos estudos que tratam do percurso histórico e delineiam as funções discursivas do riso, com destaque para a obra de Minois (2003), de Alberti (2002) e de Bremmer e Roodenburg (2000). O corpus foi coletado na internet, no período de 2014 a 2017, e é constituído por risos referentes ao discurso religioso, ao político e ao judiciário. Nesses discursos observamos formas de riso que repercutem no corpo social devido à raridade enunciativa, à desobediência à ordem discursiva e às regras de formação desses campos de saber e também risos que se mostram alegres, cordiais e irônicos, sendo esses últimos que emergem com frequência no cotidiano e constituem a memória discursiva dos sujeitos. O capítulo dedicado às análises procura verificar como o riso relaciona-se a enunciados que constituem o campo associado e que permeiam o exercício da função enunciativa. Averiguamos que a irrupção desse enunciado pode modificar o efeito de sentido de um enunciado verbal e pode responder tanto a textos verbais quanto a enunciados não verbais, constituindo-se como atitude responsiva a outros enunciados, como o nó na rede discursiva. O riso também funciona como exercício poder que emerge para ridicularizar o interlocutor, ou o tema da enunciação, como estratégia de convencimento do público. Assim, dentre as funções que verificamos nos risos coletados, destacamos a função derrisória, o efeito de cordialidade, a relação entre o riso e a loucura, a resistência às regras de formação de discursos em que o sério é entendido como a normalidade e o riso é desrespeitoso. Igualmente, os risos que emergem na enunciação constroem a rede intericônica de imagens que, por sua vez, constituem a memória discursiva dos sujeitos, possibilitando o diálogo entre imagens de risos que podemos reconhecer e interpretar nos processos discursivos, permitindo que o riso seja analisado como enunciado.
Abstract: The thesis The emergence of laughter as an enunciated analyzes laughter as an enunciative materiality in the light of the studies concerning Discourse Analysis in the French dimension (PÊCHEUX, 1988; 1990a; 1990b), referring to Michel Foucault (2009a; 2009b; 2009c; 2010) and Mikhail Bakhtin (2003; 2006). In this research, we particularly mobilize the notion of enunciation as a not verbal materiality that can be interpreted by the subjects and produces meaningful effects in given socio-historical conditions. We also reflect on the notions of discourse, discursive formation, knowledge, power, subject, truth effect and how these notions relate to the analysis of the not verbal material that is laughter. We refer to the studies that deal with the historical course and delineate the discursive functions of laughter, with emphasis on the studies conducted by Minois (2003), Alberti (2002) and Bremmer and Roodenburg (2000). The corpus was collected on the Internet, from 2014 to 2017, and consists of laughter concerning religious discourse, politics and the judiciary. In these discourses, we observe forms of laughter that reverberate in the social body due to enunciative rarity, discursive order disobedience and the rules of formation of these fields of knowledge, as well as cheerful, cordial and ironic laughter, the latter three emerging frequently in the day-to-day life and constituting the discursive memory of the subjects. The analyses chapter attempts to verify how laughter relates to enunciations that constitute the associated field and permeate the exercise of the enunciative function. We find that the irruption of this not verbal statement can modify the sense effect of a verbal enunciation and can respond to both verbal texts and not verbal enunciations, constituting a responsive attitude to other enunciations, such as the node in the discursive network. Laughter also functions as an exercise power that emerges to ridicule the collocutor or the subject of the enunciation as a strategy of public persuasion. Thus, among the functions observed in the collected laughter, we emphasize the derisory function, the cordiality effect, the relationship between laughter and madness and resistance to the rules of discourse formation in which seriousness is understood as normality and laughter is disrespectful. Likewise, the laughter that emerges in enunciation builds the intericonic network of images that, in turn, constitute the discursive memory of the subjects, enabling the dialogue between laughter images that we can recognize and interpret in discursive processes, allowing for laughter to be analyzed as an enunciation
Palavras-chave: Riso
Discurso
Enunciado
Formação discursiva
Poder
Laugh
Discourse
Enunciated
Discursive formation
Power
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: SOUSA, W. K. M. V. A emergência do riso como enunciado. 2017. 176 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7228
Data de defesa: 31-Mar-2017
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Waldênia Klésia Maciel Vargas Sousa - 2017.pdf1,52 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons