Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7368
Tipo do documento: Dissertação
Título: Uso da bolsa canguru em bebês a termo saudáveis: a relação com a amamentação e a percepção materna
Título(s) alternativo(s): Kangaroo bag use in healthy term babies: its relationship with breastfeeding and maternal perception
Autor: Souza, Romilda Rayane Godoi
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/4896293455297515
Primeiro orientador: Castral, Thaíla Corrêa
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8910125241591217
Primeiro coorientador: Siqueira, Karina Machado
Currículo Lattes do primeiro coorientador: http://lattes.cnpq.br/0644332775668979
Primeiro membro da banca: Castral, Thaíla Corrêa
Segundo membro da banca: Siqueira, Karina Machado
Terceiro membro da banca: Munari, Denize Bouttelet
Quarto membro da banca: Cavalcante, Marcela Maria Faria Peres
Quinto membro da banca: Salge, Ana Karina Marques
Resumo: O contato pele a pele precoce até uma hora após o nascimento, para todo bebê que nasça saudável, está associado ao início precoce do aleitamento materno, sucesso na primeira mamada, estabilidade cardiorrespiratória e da glicose sanguínea. No entanto, esse contato, usualmente, não é mantido em Alojamento Conjunto (ALCON) ou em domicílio, em bebês a termo. Acreditamos que a aproximação entre mãe e bebê por meio do uso da bolsa canguru possa beneficiar também os bebês a termo saudáveis. O objetivo deste estudo foi identificar os benefícios para amamentação, do contato materno prolongado em bebê a termo saudável, por meio do uso da bolsa canguru, em ALCON e domicílio, e a percepção materna dessa experiência. O estudo foi realizado em duas etapas. A etapa 1, com abordagem quantitativa, do tipo descritivo transversal e a etapa 2 teve abordagem qualitativa, embasada no referencial metodológico da investigação apreciativa. A amostra inicialmente constituiu-se de 98 mães que aceitaram usar a bolsa canguru e responderam à uma ligação telefônica realizada entre o primeiro e segundo mês de vida do bebê (29-81 dias) para verificar a frequência do uso da bolsa canguru, aplicar a Escala da Autoeficácia da Amamentação (EAA) e para obter dados da amamentação. Realizamos análise quantitativa por meio de frequência absoluta, média e desvio padrão; e testes de associação entre as variáveis. Os dados qualitativos foram obtidos por meio de visita domiciliar a 23 mães, com três perguntas norteadoras e foram analisados de acordo com a análise de conteúdo, modalidade temática, e ancorada nos princípios da investigação apreciativa. Todas as mães usaram a bolsa canguru no ALCON, entretanto, em domicílio 39,8% utilizaram três ou mais vezes por semana. O escore da EAA de todas as mães foi classificado como alto. Permaneciam em aleitamento materno exclusivo (AME) 70,4% dos bebês. Identificamos a associação entre o AME e o uso da bolsa canguru em domicílio, usando pelo menos uma vez após a alta (valorp = 0,014). As mães relataram que a posição canguru promoveu melhoria no contato mãe-bebê; maior autonomia, independência materna; bebê mais calmo e seguro; redução das cólicas; melhoria do sono; aproximação do bebê aos familiares; além da necessidade de disseminação do conhecimento e adaptação das mães quanto ao uso da bolsa canguru. Os resultados sugerem benefício da bolsa canguru quanto à amamentação para bebês a termo saudáveis na amostra estudada. Assim, o uso da bolsa canguru configura-se como uma nova forma de maternar, ao contribuir com desenvolvimento do bebê e na melhoraria na relação materna e familiar.
Abstract: Early skin-to-skin contact up to one hour after birth for every unborn child is associated with early initiation of breastfeeding, success at first feeding, cardiorespiratory stability, and blood glucose. However, this contact is usually not maintained in rooming-in care or at home, in term infants. We believe that the proximity between mother and baby through the use of kangaroo bag may also benefit healthy term infants. The objective of this study was to identify the benefits to breastfeeding of prolonged maternal contact in a healthy term baby, through the use of the kangaroo bag in rooming-in care and at home, and the maternal perception of this experience. This study was carried out in two stages. Stage 1, with a quantitative approach, of transversal descriptive type and stage 2 had a qualitative approach, based on the methodological framework of appreciative investigation. The sample initially consisted of 98 mothers who accepted to use the kangaroo bag and answered a phone call between the first and second month of the baby's life (29-81 days) to verify the frequency of use of the kangaroo bag, to apply the Breastfeeding Self-Efficacy Scale/Short Form (BSES-SF) and to obtain breastfeeding data. We performed quantitative analysis by means of absolute frequency, mean and standard deviation; and tests of association between variables. Qualitative data were obtained through a home visit to 23 mothers, with three guiding questions and were analyzed according to content analysis, thematic modality, and anchored in the principles of appreciative investigation. All mothers used the kangaroo bag at rooming-in care, however, at home 39.8% used three or more times per week. The BSES-SF score of all mothers was classified as high. 70.4% of the infants remained in exclusive breastfeeding (EBF). We identified the association between EBF and the use of the kangaroo bag at home, using at least one time after discharge (pvalue = 0.014). The mothers reported that the kangaroo position promoted improvement in mother-infant contact; a greater autonomy and maternal independence; the baby stays calmer and safer; a reduction of colic; improvement of sleep; approximation of the baby to family members; besides the need to disseminate the knowledge and adaptation of the mothers regarding the use of the kangaroo bag. The results suggest benefits of the kangaroo bag for breastfeeding for healthy term infants in the sample studied. Thus, the use of the kangaroo bag is a new form of maternal, contributing to the development of the baby and improving the maternal and family relationship.
Palavras-chave: Contato pele a pele
Aleitamento materno
Autoeficácia
Skin-to-skin contact
Breast feeding
Self efficacy
Área(s) do CNPq: ENFERMAGEM::ENFERMAGEM PEDIATRICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN)
Citação: SOUZA, R. R. G. Uso da bolsa canguru em bebês a termo saudáveis: a relação com a amamentação e a percepção materna. 2017. 128 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7368
Data de defesa: 25-Abr-2017
Aparece nas coleções:Mestrado em Enfermagem (FEN)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Romilda Rayane Godoi Souza - 2017.pdf3,6 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons