Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8375
Tipo do documento: Dissertação
Título: As influências das práticas de gestão nas vivências de sofrimento no trabalho dos subordinados em um órgão do Poder Judiciário com atuação em Goiás
Título(s) alternativo(s): The management practices influences in the suffering experiences in the work of the subordinated at a Judicial Branch with representation in Goiás
Autor: Pires, Camila Nobre Costa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3584415291696272
Primeiro orientador: Facas, Emílio Peres
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/0677240696349106
Primeiro membro da banca: Facas, Emílio Peres
Segundo membro da banca: Lima, Priscilla Melo Ribeiro de
Terceiro membro da banca: Mendes, Ana Magnólia
Resumo: A organização do trabalho afeta a vida dos trabalhadores e se apropria de sua subjetividade, não só no espaço da empresa, como em sua formação e vida pessoal. Ao instituir a divisão das tarefas e dos homens para a execução das atividades, essa organização estabelece formas de se desempenhar as tarefas e meios de controle, que abrangem a fiscalização e a hierarquia. Nesse processo, os gestores ocupam papel de destaque, sendo responsáveis por planejar, organizar, liderar, executar e controlar. A forma como atuam nas organizações não é única, podendo variar entre formas de heterogestão a modelos mais participativos e coletivos. Frente ao exposto, o objetivo deste estudo foi analisar a influência dos estilos de gestão nos indicadores de sofrimento no trabalho de subordinados. Esta pesquisa utilizou o referêncial teórico da Psicodinâmica do Trabalho e consistiu em um estudo de caso realizado com uma amostra de trabalhadores de um órgão público do poder judiciário com atuação no estado de Goiás. O estudo é quali-quantitativo, tendo como instrumentos de coleta de dados o Protocolo de Avaliação dos Riscos Psicossociais no Trabalho (PROART) e um questionário acerca da gestão. O PROART propõe quatro escalas, sendo elas: Escala de Organização do Trabalho, Escala dos Estilo de Gestão, Escala do Sofrimento Patogênico no Trabalho e Escala de Danos Físicos e Psicossociais no Trabalho. Os dados quantitativos foram submetidos à análise estatística descritiva e inferencial. Os resultados interpretados de acordo com as orientações do PROART, com foco na compreensão das influências dos estilos de gestão no sofrimento no trabalho dos trabalhadores subordinados. Os dados qualitativos foram submetidos à Análise de Núcleos de Sentido (ANS). A pesquisa foi realizada em um órgão do Poder Judiciário com atuação no estado de Goiás, do universo de 540 servidores lotados em varas e que não exerciam cargos de gestão, 125 responderam ao instrumento durante a coleta de dados. Os resultados demonstraram riscos psicossociais médios para as seguintes dimensões: divisão das tarefas; esgotamento mental e danos físicos. Foram avaliados como riscos baixos as dimensões: divisão social do trabalho; falta de sentido do trabalho; falta de reconhecimento; danos psicológicos e danos sociais. Com relação ao estilo de gestão, os resultados apontam para moderada presença de características gerencialistas e coletivas. A análise de regressão permitiu verificar relação diretamente proporcional entre divisão social do trabalho (preditor) e estilo coletivo; estilo gerencialista e divisão social do trabalho (preditores) e falta de reconhecimento; e esgotamento mental e falta de reconhecimento (preditores) e danos psicológicos. As características do estilo gerencialista de gestão, em especial a valorização das regras e da hierarquia em detrimento das pessoas, impactam diretamente na falta de reconhecimento. Além disso, a falta de reconhecimento caracteriza-se como preditora dos danos psicológicos, o que mostra que as consequências da gestão podem extrapolar o sofrimento no trabalho e culminar no adoecimento. Contudo, essa vivência é minimizada pelas características da divisão social do trabalho, que apresentou resultado satisfatório na amostra pesquisada.
Abstract: The labor organization affects the workers lives and appropriates of their subjectivity, not only in the company space, as in their qualification and personal life. In establishing the division of tasks and men for the execution of the activities, this organization establishes ways of performing the tasks and ways of control, which include the supervision and the hierarchy. In this process, managers occupy a prominent role, being responsible for planning, organizing, leading, executing and controlling. The way how they act in the organizations is not unique, it can vary between hetero-management forms to models more participative and collective. In view of the above, the objective of this study was to analyze the influence of management styles on the indicators of suffering in the subordinates work. This research used the theoretical referential of the work psychodynamics and consisted in a case study carried out with a sample of workers from a judiciary public organization operating in the state of Goiás. The study is quali-quantitative, having as instruments of data collection the Protocol for the Evaluation of Psychosocial Risks at Work (PROART) and a questionnaire about the management. The PROART proposes four scales: Scale of Prescribed Organization of Work, Scale of Management Style, Scale of Pathogenic Suffering at Work and Scale of Physical and Psychosocial Damages at Work. The quantitative data were submitted to descriptive and inferential statistical analysis. The results interpreted according to PROART guidelines, focusing on the comprehension of the management styles influences on the suffering in the work of subordinate laborers. The qualitative data were submitted to the Meaning Core Analysis (ANS). The research was carried out in a Judiciary Branch in the state of Goiás, from the universe of 540 servers stationed in courts and that did not hold management positions, 125 responded to the instrument during data collection. The results showed medium psychosocial risks for the following dimensions: tasks division; mental exhaustion and physical damages. The following dimensions were assessed as low risks: social division of labor; lack of meaning of work; lack of recognition; psychological damages and social damages. Regarding to the management style, the results point to a moderate presence of managerialist and collective characteristics. The regression analysis allowed to verify directly proportional relation among social division of labor (predictor) and collective style; managerialist style and social division of labor (predictors) and lack of recognition. In addition, the lack of recognition is characterized as a predictor of psychological damage, which shows that the consequences of management can extrapolate the suffering at work and culminate in illness. However, this experience is minimized due to the characteristics of the social division of labor, which presented satisfactory results in the sample researched.
Palavras-chave: Psicodinâmica do trabalho
Gestão do trabalho
Sofrimento no trabalho
Work psychodynamics
Work management
Suffering at work
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Educação - FE (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Psicologia (FE)
Citação: PIRES, C. N. C. As influências das práticas de gestão nas vivências de sofrimento no trabalho dos subordinados em um órgão do Poder Judiciário com atuação em Goiás. 2018. 141 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8375
Data de defesa: 21-Mar-2018
Aparece nas coleções:Mestrado em Psicologia (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Camila Nobre Costa Pires - 2018.pdf1,89 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons