Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8467
Tipo do documento: Dissertação
Título: Reforma psiquiátrica brasileira
Título(s) alternativo(s): Brazilian psychiatric reform
Autor: Nascimento, Lorrany Rodrigues do
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/2621947566032056
Primeiro orientador: Souza, Marta Rovery de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/1155042579123151
Primeiro membro da banca: Souza, Marta Rovery de
Segundo membro da banca: Durães, Telma Ferreira Nascimento
Terceiro membro da banca: Tavares, Rosana Carneiro
Resumo: Tendo em vista um contexto em que o processo de Desinstitucionalização mostra-se ameaçado pela adoção de medidas privatizantes no âmbito do SUS, foi desenvolvida uma dissertação de mestrado sobre a Reforma Psiquiátrica no município de Goiânia, onde a expansão e legitimação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) enfrenta desafios relacionados à persistência de dispositivos de caráter manicomial. O objetivo central foi o entendimento da fundamentação teórica e política sobre a qual se baseia a defesa do modelo de atenção psicossocial a partir das representações de agentes com um papel relevante nas políticas de saúde mental do município. Foi adotada a metodologia qualitativa, com o emprego da entrevista individual semi-estruturada como técnica de pesquisa. Foram entrevistados 10 agentes envolvidos no processo de Desinstitucionalização no município (militantes, gestores, acadêmicos e profissionais da rede), além de 2 agentes ligados à Reforma Sanitária. As entrevistas, depois de transcritas, passaram por um processo de análise de conteúdo, em que se adotou como critério de classificação os temas abordados nas falas. Na concepção dos entrevistados, o modelo de atenção psicossocial é visto como mais adequado ao cuidado do indivíduo em sofrimento psíquico por estar pautado na horizontalidade, no respeito aos direitos humanos e na territorialização. Apesar disso, enfrentaria dificuldades para se legitimar devido aos interesses que subjazem a manutenção do modelo manicomial. Nesse sentido, é apontada a necessidade de uma maior articulação dos movimentos sociais, com a construção de novas lideranças. Conclui-se que o processo de Desinstitucionalização em Goiânia ainda é pouco desenvolvido, apresentando, além das dificuldades associadas a um contexto nacional anti-democrático e neoliberal, obstáculos relacionados a tomada de decisões técnicas com base em critérios políticos (como a escolha dos gestores), a atuação de setores contrários à reforma e ao fato da dimensão sociocultural da reforma no município ainda não ter sido bem desenvolvida.
Abstract: Bearing in mind a context where the Deinstitutionalization process is threatened by the adoption of privatization measures on the SUS context, a master’s dissertation about the Psychiatric Reform in the city of Goiânia was developed, where the expansion and legitimization of the Psychosocial Care Network deals with challenges related to the persistence of the asylum type devices. The main objective was the understanding of the political and theoretical foundation where the defense of the psychosocial care from the representations of the agents with a relevant role into the city’s mental health policies model is based upon. A qualitative methodology was adopted, employing semi-structured individual interviews as a research technique. Ten agents involved in the Deinstitutionalization process in the city (militants, managers, academicians and professionals of the network) were interviewed, in addition to two agents connected to the Sanitary Reform. The interviews, after being transcribed, went through a content analysis process, wherein the approached speech themes were used as classification criteria. In the idea of the respondents, the psychosocial care model is seen as the most adequate for the care of the psychic individual in pain because it is lined on the horizontal, on the respect of the human rights and territorialization. Despite this, it would face difficulties to become legitimized due to the interests that are behind the maintenance of the asylum model. In this regard, the necessity of a bigger articulation of the social movements is pointed out, with the construction of new leaderships. The conclusion was that the Deinstitutionalization process in Goiânia is still underdeveloped, presenting, beyond the difficulties associated to a national anti-democratic and neoliberal context, obstacles related to decision making techniques based on political criteria (as the managers selection), the operation of sectors which are contrary to the reform and because the sociocultural dimension of the reform in the city is still not yet well developed.
Palavras-chave: Reforma psiquiátrica em Goiânia
Desinstitucionalização
Modelo de atenção psicossocial
Psychiatric reform in Goiânia
Deinstitutionalization
Psychosocial care model
Área(s) do CNPq: SOCIOLOGIA::SOCIOLOGIA DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Sociologia (FCS)
Citação: NASCIMENTO, Lorrany Rodrigues do. Reforma psiquiátrica brasileira. 2018. 122 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8467
Data de defesa: 17-Abr-2018
Aparece nas coleções:Mestrado em Sociologia (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Lorrany Rodrigues do Nascimento - 2018.pdf3,51 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons