Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9746
Tipo do documento: Dissertação
Título: Um estudo ecolinguístico do uso de preposições em redações de vestibulares
Título(s) alternativo(s): An ecolinguistic study of the use of prepositions in vestibular essay
Autor: Simião, Lajla Katherine Rocha
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3075229807478071
Primeiro orientador: Couto, Elza Kioko Nakayama Nenoki do
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8282195794917233
Primeiro membro da banca: Couto, Elza Kioko Nakayama Nenoki do
Segundo membro da banca: Borges, Mônica Veloso
Terceiro membro da banca: Castro, Maria Célia Dias de
Quarto membro da banca: Fernandes, Eliane Marquez da Fonseca
Quinto membro da banca: Siqueira, Kênia Mara de Freitas
Resumo: As preposições desempenham um papel fundamental na comunicação ao estabelecerem relações lógicas entre os elementos da língua, sendo elas peças indispensáveis da estrutura linguística (BORBA, 1971). Nesse sentido, uma das motivações para pesquisar este objeto de estudo se deu a partir do trabalho com a correção de redações, em que notamos que, dentre todas as classes de palavras, as preposições são uma das de mais difícil domínio por apresentarem um diversificado matiz significativo, de modo que os alunos restringem seu uso às funções mais genéricas. Assim, surgiu o tema desta dissertação: O estudo do uso das preposições em redações de vestibulares sob a análise da Ecolinguística. Dessa maneira, objetivou-se investigar como se dão, nas produções textuais, o domínio e o uso das preposições espaciais e variantes, a fim de constatar até que ponto esses usos estão de acordo com o princípio da Ecologia das Relações Espaciais e, se caso desviem dele, como e porquê, de modo a averiguar se o uso limitado das preposições, em que se evitam matizes de significado mais específicos, tem implicações para a comunicação e a compreensão dessas produções textuais. Como aporte teórico, utilizamo-nos da Ecolinguística, que é o estudo das interações da língua no interior do ecossistema linguístico que pode ser natural, mental ou social (COUTO, 2013a), onde surgiu a Ecologia das Relações Espaciais, de acordo com a qual todas as preposições se reduzem à espacialidade, e não apenas as temporais, mas também as abstratas, ou nocionais, como Bernard Pottier (1962) já havia demonstrado. Para tanto, selecionamos como corpus 40 redações referentes aos vestibulares da Universidade Federal de Goiás dos anos 2011, 2012, 2013 e 2014 disponibilizadas pelo Centro de Seleção. Em nossa análise, priorizamos dados que fossem representativos, por isso optamos por um número relativamente pequeno de redações para que os dados não se tornassem exaustivos. Metodologicamente, a pesquisa em questão é caracterizada como qualitativa, que parte de uma postura ecológica, tendo como critério auxiliar uma análise quantitativa prévia. Foi possível observar, que da perspectiva da Ecolinguística, as preposições possuem uma significação própria. Portanto, o uso espacial é seu sentido prototípico que serve como ponto de partida para a evolução e a ampliação semasiológica das preposições, de modo que os demais significados são resultados derivados ou motivados desse processo, o que demonstra que somente a dialética entre a Onomasiologia e a Semasiologia é capaz de dar conta, holisticamente, dos diversos usos que as preposições apresentam, como Couto (2012) já afirmava. Abstract:
Abstract: Prepositions play a major role in communication by establishing a logical link between the elements of language, which are necessary parts of the linguistic structure. (BORBA, 1971). In this regard, one of the motivations to research this object of study came up from correcting essays, in which noticed that among all class of words, prepositions are one of the most difficult domain because it presents a diversified nuance meaning so students restrict the use of prepositions to their most general functions. Thus, the theme of this dissertation came up: the study of the use of prepositions in essays for college entrance exams under the analysis of Ecolinguistics. The goal was to investigate how the domain and the use of spatial and variant prepositions are given in textual productions in order to verify what extent these uses are in accordance with the principle of the ecology of space relations and if they deviate from it, how and why. In order to verify whether the limited use of prepositions, in which more specific degrees of meanings are avoided, have implications for the communication and understanding of these textual productions. As a theoretical contribution, we use Ecolinguistics, which is the study of language interactions within the linguistic ecosystem that may be natural, mental or social (COUTO, 2013a), and the Ecology of Space Relations, stating that all prepositions are reduced to spatiality, and not only the temporal, but also the abstract, or notional, as Bernard Pottier (1962) had already demonstrated. We selected 40 essays related to college entrance exams of the Federal University of Goiás for the years of 2011, 2012, 2013 and 2014 made available by the Selection Center. In our analysis, we prioritized data that were representative, so we opted for a relatively small number of essays so the data would not became exhaustive. Methodologically, the research in question characterizes as qualitative, starting from an ecological posture, having as auxiliary criterion a previous quantitative analysis. It was possible to notice that from the perspective of Ecolinguistics, prepositions have their own meaning. Therefore, spatial use is its prototypical sense that serves as a starting point for the evolution and the semasiological expansion of prepositions. Other meanings are derived or motivated results of this process, showing that only the dialectic between Onomasiology and Semasiology is able to give a holistic account of the different uses that the prepositions present as Couto (2012) already claimed.
Palavras-chave: Preposições
Ecologia das relações espaciais
Ecolinguística
Onomasiologia e semasiologia
Prepositions
Ecology of space relationships
Ecolinguistics
Onomasiology and semasiology
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: SIMIÃO, Lajla Katherine Rocha. Um estudo ecolinguístico do uso de preposições em redações de vestibulares. 2018. 203 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9746
Data de defesa: 2-Fev-2018
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Lajla Katherine Rocha Simião - 2018.pdf11,27 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons