Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9753
Tipo do documento: Dissertação
Título: Creas e escola de ensino fundamental: identidade e expressões de gênero como direito da criança no ambiente escolar
Título(s) alternativo(s): Creas and elementary school: identity and gender expressions as children's right in the school environment
Autor: Silva, Lion Marcos Ferreira e
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/6635122166400073
Primeiro orientador: Silva, Altina Abadia da
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/1043482800761732
Primeiro membro da banca: Silva, Altina Abadia da
Segundo membro da banca: Oliveira, Vanilda Maria de
Terceiro membro da banca: Santos, Fran Demétrio Silva
Resumo: Este estudo situa-se no campo das práticas educativas, na linha de pesquisa Formação de Professores, Práticas Educativas e Inclusão, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão (PPGEDUC/RC/UFG). As práticas educativas devem ser pensadas de maneira em que beneficie a criança conforme o contexto social em que vive numa perspectiva transversal, que perpassa pela educação, saúde, serviço social entre outras políticas que atenda cidadãos em sua integralidade, universalidade e singularidade. O trabalho do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, visa atender, defender e propor políticas que intervenham nas vulnerabilidades sociais, priorizando as possíveis exposições de crianças em risco social. Assim como a Escola o CREAS está inserido na rede de proteção à criança e ao adolescente, atendendo toda essa demanda específica, dessa forma, nos vale questionar: segundo a compreensão dos profissionais do CREAS, o que a escola elege como problema de gênero quando recorre aos seus serviços? O objetivo central desta pesquisa é analisar a compreensão e a atuação dos profissionais do CREAS frente ao que a escola elege como problema de gênero. A entrevista semiestruturada foi o instrumento de pesquisa utilizado, assim como, os círculos da igualdade e a pirâmide das relações sociais e de poder que elaboramos como dispositivo de pesquisa, pensados na filosofia africana que preza pelo princípio da circularidade, onde há igualdade entre todos e respeito mútuo e no círculo encantado de Gayle Rubin, que coloca conforme representa na sociedade, tudo que é considerado puro e moral no interior do círculo referente às relações sexuais e afetivas, e fora dele tudo que é considerado imoral. Para identificar as pessoas entrevistadas foram usados nomes fictícios de escritoras de obras literárias que trazem sobre a temática de gênero e sexualidade direcionada para o público infantil. Foi possível perceber através dessa pesquisa que, os profissionais da escola ainda encontram dificuldades de lidar com questões de gênero na infância. Se a criança expressa no ambiente escolar comportamento que possa ser interpretado como algo ligado a sua identidade, orientação sexual, expressão de gênero ou o simples fato de brincar com um brinquedo que na leitura social seja pertencente a outro gênero, pode se tornar um problema o qual a escola direciona o caso para a família, conselho tutelar e ou o CREAS. Assim também através da análise da Pirâmide das relações Sociais e de Poder, chegamos à conclusão de que as masculinidades hegemônicas e não hegemônicas são reconhecidas numa posição de superioridade social em relação a todas as representatividades do gênero feminino.
Abstract: This study is located in the field of educational practices, in the research line Teacher Training, Educational Practices and Inclusion, of the Post-Graduation Program in Education of the Federal University of Goiás - Regional Catalão (PPGEDUC / RC / UFG). should be designed in such a way that it benefits the child according to the social context in which he lives in a transversal perspective, which goes through education, health, social service among other policies that meet citizens in their entirety, universality and singularity. The work of the Specialized Reference Center for Social Assistance –CREAS, aims to respond, defend and propose policies that intervene in social vulnerabilities, prioritizing the possible exposures of children at social risk. Just as the CREAS School is inserted in the child and adolescent protection network, in order to meet all this specific demand, it is worth questioning: according to the CREAS professionals' understanding, what the school chooses as a gender problem when it traverses your services? The central objective of this research is to analyze the understanding and performance of CREAS professionals in relation to what the school chooses as a gender problem. The semistructured interview was the research tool used, as well as the equality circles and the pyramid of social relations and power that we elaborate as a research device, thought of the African philosophy that values the principle of circularity, where there is equality between all and mutual respect and in the enchanted circle of Gayle Rubin, which poses as it represents in society, everything that is considered pure and moral within the circle referring to sexual and affective relations, and outside it everything that is considered immoral. To identify the people interviewed were used fictitious names of writers of literary works that bring about the theme of gender and sexuality aimed at children. It was possible to perceive through this research that, the professionals of the school still find difficulties of dealing with questions of gender in childhood. If the child expresses in the school environment behavior that can be interpreted as something related to their identity, sexual orientation, gender expression or the simple fact of playing with a toy that in social reading belongs to another genre, it can become a problem. which school directs the case to the family, tutelary board and or CREAS. Thus, also through the analysis of the Pyramid of Social and Power relations, we come to the conclusion that hegemonic and non-hegemonic masculinities are recognized in a position of social superiority in relation to all representations of the feminine gender.
Palavras-chave: Creas
Escola
Criança
Gênero
Expressões
School
Kid
Gender
Expressions
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Regional Catalão (RC)
Programa: Programa de Pós-graduação em Educação (RC)
Citação: SILVA, Lion Marcos Ferreira e. Creas e escola de ensino fundamental: identidade e expressões de gênero como direito da criança no ambiente escolar. 2019. 91 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9753
Data de defesa: 12-Abr-2019
Aparece nas coleções:Mestrado em Educação (RC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Lion Marcos Ferreira e Silva - 2019.pdf2,76 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons