Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9888
Tipo do documento: Dissertação
Título: A crítica de Hannah Arendt aos direitos humanos: uma reconstrução sobre o amor mundi
Título(s) alternativo(s): Hannah Arendt's critique of human rights: a reconstruction on amor mundi
Autor: Campos, João Pedro Andrade de
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3093865753837164
Primeiro orientador: Moscateli, Renato
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8852962822237051
Primeiro membro da banca: Moscateli, Renato
Segundo membro da banca: Reis, Helena Esser dos
Terceiro membro da banca: Oliveira, José Luiz de
Resumo: Entendidos como resultados de um processo histórico ou de afirmações e reivindicações políticas, o fato é que os Direitos Humanos são um tema de envergadura desde a promulgação da Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, em 1776 e da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, em 1789 frutos, respectivamente, das Revoluções Americana e Francesa, sendo estas duas revoluções, também, a espinha dorsal da busca e da efetivação de Direitos que se alonga e se assenta em um espírito Constitucional. Todavia, apesar de podermos e devermos remeter nosso olhar para estes e outros documentos congêneres, com o objetivo de buscar iluminação para questões reais de nosso tempo, enfrentamos recorrentemente temas que se sobrepõe à teoria e desafiam nossa prática política. Por essa via, nesta dissertação, temos como mote discutir, a partir das figuras dos apátridas e dos refugiados, qual é o lugar dessas pessoas em meio a uma evidente ineficácia de proteção legal da qual elas sofrem dada sua condição de perda de vínculo nacional, o que mobiliza no pensamento político de Hannah Arendt uma reflexão paralela ao que ela entende por Responsabilidade e Amor ao Mundo. Pensaremos, portanto, de um lado, sobre a insuficiência da pretensa universalização de direitos a partir das críticas feitas por Arendt a este modelo e, de outro modo, revisitaremos no pensamento da autora, elementos que contribuam com este debate sob um viés que privilegie a constituição da esfera pública. Para tanto, recorreremos, primeiramente, ao sentido de Liberdade Política que perpassou tanto os acontecimentos da Revolução Americana quanto os da Revolução Francesa, buscando compreender de que maneira este conceito influi, desde a Constituição de um Corpo Político à própria articulação de um espaço público fecundo por agentes livres. Neste sentido, buscaremos, ainda, destacar com base nestas reflexões que, no pensamento político de Arendt, há uma articulação entre a participação cívica e política no espaço público com a ampla efetividade de Direitos, o que pode remeter a uma concepção peculiar de Republicanismo, por enfatizar o comprometimento comunitário enraizado no cumprimento de direitos e deveres.
Abstract: Understood as the result of a historical process or political assertions and claims, the fact is that Human Rights have been a major theme since the enactment of the Declaration of Independence of the United States of America in 1776 and the Declaration of the Rights of Man and of the Citizen in 1789 fruits, respectively, of the American and French Revolutions, these two revolutions being also the backbone of the search and the realization of Rights that stretches and is based on a Constitutional spirit. However, while we may and should look to these and other similar documents, in order to seek enlightenment for real issues of our time, we recurrently face issues that overlap with theory and challenge our political practice. By this way, in this dissertation, we have as motto to discuss, from the figures of the stateless people and the refugees, what is the place of these people in the middle of an evident inefficacy of legal protection of which they suffer given their condition of loss of national bond, which mobilizes in the political thinking of Hannah Arendt a parallel reflection to what she means by Responsibility and Love to the World. We will therefore think, on the one hand, of the insufficiency of the alleged universalization of rights based on Arendt's critiques of this model and, on the other hand, revisit in the author's thinking elements that contribute to this debate under a bias that favors constitution of the public sphere. To do so, we will first resort to the sense of Political Freedom that has permeated both the events of the American Revolution and those of the French Revolution, seeking to understand how this concept influences, from the constitution of a Political Body to the very articulation of a fecund public space by free agents. In this sense, we will also seek to highlight, based on these reflections, that in Arendt's political thought there is a link between civic and political participation in public space with the wide effectiveness of Rights, which can refer to a peculiar conception of Republicanism, for emphasizing the community commitment rooted in the fulfillment of rights and duties.
Palavras-chave: Hannah Arendt
Direitos humanos
Liberdade política
Responsabilidade pelo mundo
Human rights
Political freedom
Responsibility for the world
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL)
Citação: CAMPOS, J. P. A. A crítica de Hannah Arendt aos direitos humanos: uma reconstrução sobre o amor mundi. 2019. 111 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9888
Data de defesa: 15-Jul-2019
Aparece nas coleções:Mestrado em Filosofia (FAFIL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - João Pedro Andrade de Campos - 2019.pdf2,5 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons