Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9928
Tipo do documento: Tese
Título: “Sou, sempre fui um estranho, um estrangeiro”: figurações do deslocamento em narrativas de Luiz Ruffato
Título(s) alternativo(s): “Am, I was always a strange, a foreigner”: figures of displacement in Luiz Ruffato narratives
Autor: Silva, Marcela Ferreira da
Currículo Lattes do Autor: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4282100T2
Primeiro orientador: Camargo, Flávio Pereira
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/5015485726957185
Primeiro membro da banca: Camargo, Flávio Pereira
Segundo membro da banca: Santini, Juliana
Terceiro membro da banca: Cruvinel, Larissa Warzocha Fernandes
Quarto membro da banca: Brito, Tarsilla Couto de
Quinto membro da banca: Frota, Adolfo José de Souza
Resumo: Esta tese de doutorado apresenta uma leitura de quatro narrativas do escritor brasileiro contemporâneo Luiz Ruffato, a fim de observar de que maneira tais textos têm problematizado a relação da personagem com o espaço. Ora por meio da incorporação da temática do trânsito no interior dos grandes centros urbanos, ora por meio dos inúmeros desdobramentos da migração dentro e fora do país, as diferentes figurações do deslocamento se apresentam como problema relevante na ficção do autor. A escolha do corpus, que abarca os principais romances produzidos no período de pouco mais de uma década – Eles eram muitos cavalos (2001), O livro das impossibilidades (2008), Estive em Lisboa e lembrei de você (2009) e Flores artificiais (2014) –, procurou contemplar personagens emblemáticas desta problematização sujeito e espaço: os praticantes do espaço urbano, os migrantes, os imigrantes e os viajantes respectivamente. A leitura das narrativas possibilitou a reflexão em torno do modo como o escritor trabalha a forma romanesca para tratar da complexidade do desenraizamento e do pertencimento a um espaço. Cada romance se estrutura de forma singular, exigindo um percurso analítico teórico-crítico próprio, que observou tanto questões estéticas quanto ideológicas. De maneira geral, a análise permitiu, sob o prisma do espaço, constatar que as muitas formas de migração, inseridas nos romances, dialogam com um contexto de configuração política complexa e que a multiplicidade de tensões entre deslocar e pertencer se constitui numa das principais preocupações do projeto estético-ideológico do autor.
Abstract: This doctoral thesis presents a reading of four narratives by contemporary Brazilian writer Luiz Ruffato, in order to observe how these texts have problematized the relation of the character to the space. Nowadays, through the incorporation of the theme of traffic within the great urban centers or through the innumerable developments of the migration inside and outside the country, the different figurations of the displacement are presented as a relevant problem in the fiction of the author. The choice of the corpus, which encompasses the major novels produced in just over a decade – Eles eram muitos cavalos (2001), O livro das impossibilidades (2008), Estive em Lisboa e lembrei de você (2009) and Flores artificiais (2014) –, sought to contemplate emblematic characters of this problematization subject and space: practitioners of urban space, migrants, immigrants and travelers respectively. The reading of the narratives made possible the reflection on the way in which the writer works the novel’s form to deal with the complexity of the uprooting and the belonging to a space. Each novel is structured in a unique way, requiring a theoreticalcritical analytical path of its own, which has observed both aesthetic and ideological issues. In general, the analysis allowed, from the perspective of space, that the many forms of migration, inserted in the novels, dialogue with a context of complex political configuration and that the multiplicity of tensions between displacement and belonging is one of the main concerns of the author’s aesthetic-ideological project.
Palavras-chave: Espaço
Migração
Narrativa amadiana
Luiz Ruffato
Space
Migration
Narrative research
Luiz Ruffato
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: SILVA, Marcela Ferreira da. “Sou, sempre fui um estranho, um estrangeiro”: figurações do deslocamento em narrativas de Luiz Ruffato. 2019. 178 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9928
Data de defesa: 10-Jul-2019
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Marcela Ferreira da Silva - 2019.pdf1,41 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons