Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9988
Tipo do documento: Dissertação
Título: Terceirização: um estudo sobre trabalhadores terceirizados e não terceirizados em uma instituição de ensino superior
Título(s) alternativo(s): Outsourcing: a study about outsourced and non-outsourced workers in a higher education institution
Autor: Camilo, Taynan Alexandre
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5074457458187133
Primeiro orientador: Costa, Sérgio Henrique Barroca
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/7031943934465059
Primeiro membro da banca: Medeiros, Luiza Ferreira Rezende
Segundo membro da banca: Antunes, Caio Sgarbi
Resumo: O trabalho na modernidade ocupa posição central na vida do ser humano. Sendo assim, aspectos que concernem ao mundo do trabalho acabam por influenciar todo a existência do indivíduo. A mudança da prevalência do modelo fordista/taylorista para o modelo flexível toyotista, aliada ao processo de globalização e financeirização da produção, levou a um processo de desterritorialização e terceirização da produção. Ambos os processos têm como objetivo a diminuição dos custos com mão de obra, seja através do aproveitamento da desregulamentação trabalhista em alguns países, seja através da flexibilização nas formas de contratação desta mão de obra. O presente trabalho tem como objetivo discutir, a partir de uma visão crítica, os possíveis impactos do fenômeno da terceirização para a vida laboral da classe-que-vive-do-trabalho, do ponto de vista dos trabalhadores terceirizados e não terceirizados que realizam atividades em uma Instituição de Ensino Superior. Abordou-se a terceirização a partir de três contextos – administrativo, jurídico e social. O aspecto administrativo aponta a terceirização como uma “forma moderna de gestão”, na qual a empresa contratante passa a concentrar esforços no seu core business. No tocante aos aspectos jurídicos, aborda-se as mudanças legais que fizeram com que a contratação de trabalho terceirizado, antes totalmente proibido, passasse a ser totalmente permitido, incluindo aqueles ligados às atividades fim da empresa. Na questão social, a terceirização é vista como uma das formas de precarização do trabalho, tendo em vista que, dentre outros aspectos, contribui para a mercantilização a atividade humana, para intensificação do trabalho e para o enfraquecimento mecanismos de proteção coletiva (sindicatos). A pesquisa foi desenvolvida através de um desenho qualitativo, buscando a compreensão aprofundada do fenômeno. Realizou-se entrevistas com trabalhadores terceirizados e não terceirizados que realizam suas atividades em uma Instituição de Ensino Superior. Considerando que a vida social pode ser pensada a partir de uma rede interconectada de práticas sociais de diferentes tipologias, os dados coletados serão analisados a partir da técnica de Análise Crítica do Discurso (ACD). As entrevistas de história de vida com os trabalhadores permitiu a compreensão de um pouco do contexto histórico e social que trouxe os integrantes destes grupos até o presente momento. O estudo permitiu também verificar o quanto esses caminhos, paralelos na origem, tenderam a uma divergência em desfavor dos trabalhadores terceirizados, durante o ciclo laboral. Jornadas de trabalho mais longas, salários menores, falta de estabilidade no trabalho, alta rotatividade de trabalhadores, mudança constantes de empresa, impossibilidade de gozar direitos trabalhistas, isolamento sindical, falta de incentivos institucionais, dentre outros, torna esse novo proletariado de serviços um “precarizado-que-vive-do-trabalho”. Como sugestão para futuras pesquisas, os estudo com trabalhadores que realizem atividades diversas e estejam inseridos em um mesmo regime jurídico celetista poderão trazer novas dimensões, novas categorias de análise e promover novas discussões que este estudo não pôde alcançar.
Abstract: Work in modernity occupies a central position in the life of the human being. Thus, aspects that concern the world of work end up influencing the whole existence of the individual. The shift from the prevalence of the fordist / taylorist model to the flexible toyotista model, added with the process of globalization and financialization of production, led to a process of deterritorialization and outsourcing of production. Both processes have the objective of reducing labor costs, either through the use of labor deregulation in some countries, or through more flexible ways of hiring labor. This paper aims to discuss, from a critical point of view, the possible impacts of the outsourcing phenomenon on the working-class life, from the point of view of outsourced and non-outsourced workers who carry out activities in a Higher Education Institution. The outsourcing process has been approached from three contexts - administrative, legal and social. The administrative aspect points to outsourcing as a "modern form of management", where the contracting company concentrates efforts on its core business. Regarding the legal aspects, the legal changes that have made the hiring of outsourced work, previously totally prohibited, become fully permitted, including those related to the company's main activities. In the social aspect, outsourcing is seen as one of the forms of precariousness of work, contributing to the commercialization of human activity, to intensify work and to weaken collective protection mechanisms (unions). The research was developed through a qualitative design, seeking the in-depth understanding of the phenomenon. Interviews were conducted with outsourced and non-outsourced workers who carry out their activities in a Higher Education Institution. Considering that social life can be thought from an interconnected network of social practices of different typologies, the data collected will be analyzed using the Critical Discourse Analysis (CDA) technique. The life history interviews with the workers allowed the understanding of some of the historical and social context that brought the members of these groups to the present moment. The study also allowed us to verify the extent to which these parallel stories at the beginning have tended to diverge to the detriment of outsourced workers during the work cycle. Longer working hours, lower wages, lack of job stability, high turnover of workers, constant change of company, impossibility to access labor rights, union isolation, lack of institutional incentives, among others, makes this new service proletariat a "precarious work class". As a suggestion for future research, the studies with workers who perform other activities and are part of the same legal regime can bring new dimensions, new categories of analysis and promote new discussions that this study could not achieve.
Palavras-chave: Terceirização
Precarização
Instituição de ensino superior
Outsourcing
Precariousness
Higher education institution
Área(s) do CNPq: ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas - FACE (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Administração (FACE)
Citação: CAMILO, Taynan. Terceirização: um estudo sobre trabalhadores terceirizados e não terceirizados em uma instituição de ensino superior. 2019. 159 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9988
Data de defesa: 26-Fev-2019
Aparece nas coleções:Mestrado em Administração (FACE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Taynan Alexandre Camilo - 2019.pdf3,16 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons