Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11231
Tipo do documento: TCC
Título: Remuneração de auditoria independente em empresas familiares e não familiares
Autor: Suzuki, Jessika da Cunha Leão
Primeiro orientador: Silva, Júlio Orestes da
Primeiro membro da banca: Silva, Júlio Orestes da
Zanolla, Ercílio
Freire, Mac Daves de Morais
Resumo: O objetivo do estudo, consiste em verificar a relação da remuneração de auditoria independente e o controle familiar e não familiar nas empresas brasileiras de capital aberto listadas na BM&FBOVESPA. Assume-se que o clássico conflito entre principal e agente em empresas não familiares é mais caro do que em empresas familiares. Existem evidências que indicam que quando se trata de empresas familiares, os custos de agência tendem a ser menores, devido ao maior monitoramento implícito ao controle familiar. Em se tratando de empresas auditadas por uma Big Four, existem evidências de que esses honorários seriam mais caros, devido a maior qualidade dos serviços. Em relação ao tamanho da empresa, há estudos que indicam que quanto maior o porte da empresa, maior tende a ser os honorários pagos. Essas evidências influenciaram nas relações esperadas: (i) Empresas familiares brasileiras remuneram em menor nível os auditores independentes quando comparadas as empresas não familiares brasileiras. (ii) Os honorários referentes as empresas de auditoria Big Four tendem a ser superiores aos honorários cobrados por uma empresa não Big Four. (iii) Quanto maior o tamanho da empresa, maior é o honorário cobrado de auditoria independente. A pesquisa caracteriza-se como descritiva, tendo uma abordagem quantitativa, representada por uma amostra de 46 empresas familiares e 130 empresas não familiares. O período de análise compreende os anos de 2009 a 2013. Para o desenvolvimento do trabalho e para atingir o objetivo da pesquisa, foi aplicada a Regressão Linear Múltipla para verificar a relação da remuneração de auditoria independente, com o fato da empresa ser ou não familiar, a empresa de auditoria ser ou não uma Big Four e o tamanho da empresa. Os resultados confirmaram as proposições descritas no estudo, e indicaram que: (i) as empresas familiares remuneram em menor nível os auditores independentes, quando comparadas com empresas não familiares; (ii) os honorários cobrados por empresas de auditorias Big Four são superiores aos honorários cobrados por empresas de auditoria não Big Four; e (iii) quanto maior o tamanho da empresa auditada, maior a tende a ser a remuneração paga pelos serviços de auditoria. Conclui-se que, a remuneração de auditoria independente paga pelas empresas familiares desta amostra, tende a ser menor, quando comparadas com a remuneração de auditoria independente paga pelas empresas não familiares, o que alinha-se proposição de que a maior proximidade entre controle e gestão nas empresas familiares, geraria custos de agência menores, e como consequência menor necessidade de procedimentos de auditoria e consequentemente menor remuneração aos auditores.
Palavras-chave: Remuneração de auditoria
Empresa familiar
Big four
País: brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas - FACE (RG)
Nome do curso: Ciências Contábeis (RG)
Citação: SUZUKI, Jessika da Cunha Leão. Remuneração de auditoria independente em empresas familiares e não familiares. 2016. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11231
Data de publicação: 25-Fev-2016
Aparece nas coleções:FACE - Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCCG - Ciências Contábeis - Jessika da Cunha Leão Suzuki.pdf455,32 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.