Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11464
Tipo do documento: Artigo
Título: Autocorrelação filogenética para o tamanho do corpo em corujas (Strigiformes) da América do Sul
Título(s) alternativo(s): Phylogenetic auto-correlation of body size in South American owls (Strigiformes)
Autor: Sant'ana, Carlos Eduardo Ramos de
Diniz Filho, José Alexandre Felizola
Resumo: Estudos realizados em Ecologia e Biologia Evolutiva, utilizando dados comparativos, possibilitam particionar a variância total de um determinado caráter (T) em dois componentes: um componente filogenético (P), que contém a parte da variação atribuída à ancestralidade comum com outras espécies, ou inércia filogenética e um componente específico (S), que contém aquela parte da variação que é única para cada espécie, refletindo adaptações, ou seja, modificações na morfologia ou no comportamento como resultado de seleção direcional dentro das linhagens. Neste trabalho, utilizamos a Análise de Autocorrelação Filogenética para analisar a importância relativa desses dois componentes, para o tamanho do corpo de 19 espécies de corujas (Aves: Strigiformes) da América do Sul, cujas relações filogenéticas foram definidas com dados moleculares. O coeficiente filogenético autorregressivo (p) obtido foi iagua a 0,827, indicando que 68,4% da variação do tamanho do corpo das corujas (p²) pode ser atribuído à filogenia. Sugere-se que estudos posteriores, quando inferirem adaptações Darwinianas baseadas na relação entre o tamanho do corpo das corujas e componentes de variação ambiental, tais como densidade, distribuição, padrões de alimentação, dentre outros, levem esses resultados em consideração a fim de evitar correlações espúrias entre as variáveis estudadas.
Abstract: Developments in the analysis of comparative data indicate that is possible to partition the total variation of a give trait (T) into the phylogenetic component (P), which contains the variance shared by species and indicates the tendency called phylogenetic inertia and a specific component (S), which contains that part of variation that is peculiar to each species. Here, a phylogenetic auto-correlation analysis was used to verify the relative importance of these two components in body size variation of 19 owl (Strigiformes) species from South America, using phylogenetic relationships defines by molecular data. The estimated phylogenetic auto-regressive coefficient p was equal to 0,827, statistically significant at 1% level, and indicates that 68,4% of body size variation in owls (p²) can be atributed to phylogeny and evolutionary constraints. Further studies must take this effect into account to avoid spurious correlations when inferring Darwinian adaptations based solely on relationships betwen oul body size and components os environmental variation, e. g. population density, geographic range, clutch size and population growth rate.
Palavras-chave: Autocorrelação
Corujas
Inércia filogenética
Strigiformes
Tamanho do corpo
Auto-correlation
Body size
Owls
Phylogenetic inertia
Strigiformes
País: Brasil
Instituição: Sociedade Brasileira de Ornitologia
Unidade acadêmica: Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Citação: SANT’ANA, Carlos Eduardo Ramos de; DINIZ FILHO, José Alexandre Felizola. Autocorrelação filogenética para o tamanho do corpo em corujas (Strigiformes) da América do Sul. Ararajuba: revista brasileira de ornitologia, São Paulo, v. 5, n.1, p. 39-43, jun. 1997.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: An error occurred getting the license - uri.
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11464
Data de publicação: Jun-1997
Aparece nas coleções:ICB - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo 2 - Carlos Eduardo Ramos de Sant'Ana - 1997.pdf1,15 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.