Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11548
Tipo do documento: Artigo
Título: Macroecologia, biogeografia e áreas prioritárias para conservação no cerrado
Título(s) alternativo(s): Macroecology, biogeography and prioritary areas for conservation in the brazilian cerrado
Macroecologia, biogeografia y áreas prioritárias para conservación el cerrado
Autor: Diniz Filho, José Alexandre Felizola
Bini, Luis Mauricio
Oliveira, Guilherme de
Barreto, Bruno de Souza
Silva, Marcel Müller Fernandes Pereira da
Terribile, Levi Carina
Rangel, Thiago Fernando Lopes Valle de Britto
Pinto, Miriam Plaza
Sousa, Nayara Pereira Rezende de
Vieira, Ludgero Cardoso Galli
Melo, Adriano Sanches
Marco Júnior, Paulo de
Vieira, Cleiber Marques
Blamires, Daniel
Bastos, Rogério Pereira
Carvalho, Priscilla de
Ferreira Júnior, Laerte Guimaraes
Telles, Mariana Pires de Campos
Rodrigues, Flávia Melo
Silva, Daniela Melo e
Silva Júnior, Nelson Jorge da
Soares, Thannya Nascimento
Resumo: H á consenso entre os cientistas de que a há atualmente uma “crise da biodiversidade”, resultado da constante e intensa perda de habitat natural causada pela expansão da ocupação. Como a biologia da conservação tem sido muitas vezes reconhecida como uma ciência da crise, ela deve fornecer informações capazes de mediar, de forma mais científica possível, as tomadas de decisão que são necessárias. Dentre estas, uma das mais importantes é indicar regiões prioritárias para a conservação, já que por motivos óbvios não é possível preservar todos os ecossistemas por inteiro. Nesse contexto, recentemente sugeriu-se que a aplicação de princípios, teorias e análises provenientes da biogeografia e da macroecologia seriam importantes na Biologia da Conservação, formalizando uma abordagem que tem sido denominada “Biogeografia da Conservação”. Assim, o objetivo deste artigo é discutir e revisar esses componentes da biogeografia da conservação, utilizando uma abordagem macroecológica para desenvolver e aplicar métodos de planejamento sistemático em conservação, utilizando o bioma Cerrado como um modelo de estudo. Foram discutidos inicialmente os padrões de riqueza e diversidade beta e, em um segundo momento, como esses padrões podem ser correlacionados à ocupação humana do Bioma. Essa relação é fundamental para subsidiar a aplicação de modelos de planejamento sistemático de conservação em escala regional (análises de insubstituibilidade, complementaridade e de lacunas). É preciso considerar também que há sérias falhas de conhecimento sobre os padrões de biodiversidade na região e que a escolha de grupos indicadores pode ser importante para minimizar problemas gerados pela falta de conhecimento. Assim, essa abordagem é interessante em um cenário de grandes incertezas (ausência de dados detalhados) e de rápida transformação da paisagem, possibilitando a otimização de estudos em grandes escalas e depois transferir os resultados para escalas espaciais mais locais e realmente relevantes para a conservação. Nessas regiões, podem ser realizados, em um segundo momento, estudos mais detalhados a fim de avaliar padrões de viabilidade populacional, fragmentação de habitat e regiões potenciais de manutenção da diversidade genética.
Abstract: Worldwide scientists claim there is an ongoing crisis in biodiversity associated with increased human occupation. The field of conservation biology, is known as a crisis science / field, as it basically aims at obtaining useful information for better dealing with the ongoing crisis, thus supporting the decisions made by scientists to reduce biodiversity losses. Among these actions, of paramount importance is the suggestion of priority regions for conservation, given that conservation of entire ecosystems or biomes is impracticable. In this context, it has been suggested that the application of biogeography and macroecology principles, theorems, and methods could be of great help to conservation biology, which formalizes a new approach named conservation biogeography. The present paper discusses the use of macroecology to build and implement systematic conservation programs using the Cerrado of Central Brazil as model system. We start by discussing species richness and beta diversity, and how human occupation of Cerrado relates with it. This is important because the nature of this relationship is incorporated into regional systematic conservation plans, also including species complementarity, irrepleceability and gap analyses. It is also important taking into consideration that obtained results can be biased by poor knowledge of local biodiversity; For example ‘Wallacean and Linnean shortfalls’ may allow choosing a best set of indicator groups for analyses. Thus, conservation biogeography is a useful approach when there are broad uncertainties associated with poor data quality in greatly threatened regions, allowing for a first glance at the region, which might suggest areas deserving greater attention for detailed studies to evaluate population viability, habitat fragmentation, genetic diversity, and any other aspects needed for effective implementation of conservation actions.
Actualmente hay consenso entre los científicos sobre la existencia de una “crisis de la biodiversidad”, producto de la constante e intensa pérdida de hábitat natural causada por la expansión de la ocupación humana. Debido a que la Biología de la Conservación ha sido muchas veces reconocida como una ciencia de crisis, ésta debe proporcionar información capaz de mediar, de la forma más científica posible, la toma de decisiones necesarias. Dentro de éstas, una de las más importantes es indicar regiones prioritarias para la conservación, ya que por motivos obvios, no es posible preservar todos los ecosistemas por completo. En este contexto, recientemente se sugirió que la aplicación de principios, teorías y análisis provenientes de la biogeografía y de la macroecología serían importantes en la Biología de la Conservación, formalizando un abordaje que también ha sido denominado “Biogeografía de la Conservación”. De este modo, el objetivo de este artículo es discutir y revisar dichos componentes de la Biogeografía de la conservación, utilizando un abordaje macroecológico, para desarrollar y aplicar métodos de planeamiento sistemático en conservación, utilizando el bioma Cerrado como modelo de estudio. Inicialmente se discutieron los patrones de riqueza y diversidad beta, y posteriormente cómo estos patrones pueden ser correlacionados con la ocupación humana del Bioma. Dicha relación es fundamental para subsidiar la aplicación de modelos de planeamiento sistemático de conservación a escala regional (análisis de insostenibilidad, complementariedad y de lagunas). También es preciso considerar que existen serias fallas en el conocimiento sobre los patrones de biodiversidad en la región y que la elección de grupos indicadores puede ser importante para minimizar problemas generados por la falta de conocimiento. De este modo, este abordaje es interesante en un escenario de grandes incertidumbres (ausencia de datos detallados) y de la rápida transformación del paisaje, posibilitando la optimización de estudios a gran escala para luego transferir los resultados a escalas espaciales locales y realmente relevantes para la conservación. Posteriormente, en estas regiones, pueden ser realizados estudios más detallados, a fin de evaluar patrones de viabilidad poblacional, fragmentación de hábitat y regiones potenciales de mantenimiento de diversidad genética.
Palavras-chave: Planejamento sistemático
Insubstituibilidade
Complementaridade
Lacunas
Distribuição geográficas
Biogeography
Macroecology
Systematic conservation planning
Irreplaceability
Complementarity
Gap analysis
Geographic ranges
Planeamiento sistemático
Conservación
Insostenibilidad
Complementariedad
País: Brasil
Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade acadêmica: Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Citação: DINIZ FILHO, José Alexandre Felizola; BINI, Luiz Mauricio, OLIVEIRA, Guilherme de; BARRETO, Bruno de Souza; SILVA, Marcel Muller Fernandes Pereira; TERRIBILE, Levi Carina; RANGEL, Thiago Lopes Valle de Britto; PINTO, Miriam Plaza; SOUSA, Nayara Pereira Rezende de; VIEIRA, Ludgero Cardoso Galli; MELO, Adriano Sanches; MARCO JÚNIOR, Paulo de; VIEIRA, Cleiber Marques; BLAMIRES, Daniel; BASTOS, Rogério Pereira; CARVALHO, Priscilla de; FERREIRA JÚNIOR, Laerte Guimaraes; TELLES, Mariana Pires de Campos; RODRIGUES, Flávia Melo; SILVA, Daniela Melo e; SILVA JÚNIOR, Nelson Jorge da; SOARES, Thannya Nascimento. Macroecologia, biogeografia e área prioritárias para conservação no cerrado. Oecologia Brasiliensis, v. 13, n. 3, p. 470-497, set. 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.4257/oeco.2009.1303.05
Identificador do documento: 10.4257/oeco.2009.1303.05
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11548
Data de publicação: Set-2009
Aparece nas coleções:ICB - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - José Alexandre Felizola Diniz Filho - 2009.pdf2,77 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons