Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11756
Tipo do documento: Artigo
Título: Contaminação de equipamentos e superfícies de unidades de terapia intensiva de uma maternidade pública por staphylococcus coagulase negativa
Título(s) alternativo(s): Contamination of equipment by coagulase-negative Staphylococcus in intensive care units of a public maternity ward
Autor: Moraes, Carolina Leão de
Ribeiro, Nádia Ferreira Gonçalves
Costa, Dayane de Melo
Furlan, Vinícius Gontijo
Palos, Marinésia Aparecida Prado
Vasconcelos, Lara Stefânia Netto de Oliveira Leão
Resumo: As unidades de terapia intensiva são consideradas áreas críticas de um hospital, pois oferecem risco para infecções. O ambiente destas unidades representa um potencial reservatório de micro-organismos patogênicos, os quais podem ser veiculados a hospedeiros suscetíveis como recém-nascidos e crianças. O objetivo deste estudo foi detectar a presença de Staphylococcus coagulase negativa em equipamentos e superfícies de unidades de terapia intensiva de uma maternidade pública de Goiânia, Goiás. A pesquisa foi desenvolvida em três unidades, sendo duas pediátricas e uma neonatal. A coleta das amostras ocorreu no período de setembro de 2011 a julho de 2012. Foram avaliados 93 materiais, sendo 48 equipamentos e 45 superfícies. O procedimento de coleta das amostras foi realizado com a utilização de swab, o qual foi introduzido em meios de cultura específicos. Os isolados bacterianos foram identificados mediante análises microscópicas, macroscópicas e testes bioquímicos. Dentre os materiais analisados, 62 (66,7%) estavam contaminadas por Staphylococcus coagulase negativa, sendo 32 (66,7%) equipamentos e 30 superfícies (66,7%). As incubadoras (90,9%) e as bancadas (88,9%) foram os materiais mais frequentemente contaminados. Foi isolado um total de 65 bactérias. Alguns materiais (n=3) apresentaram contaminação concomitante por duas cepas bacterianas fenotipicamente diferentes. Neste estudo, os equipamentos e superfícies investigados foram identificados como focos de contato de Staphylococcus coagulase negativa, apresentando risco para a transmissão destes micro-organismos a recém-nascidos e crianças hospitalizadas. A adoção de procedimentos de descontaminação mais efetivos é necessária para o controle da disseminação desta bactéria no ambiente hospitalar.
Abstract: Intensive care units are considered critical areas of a hospital, due to patient’s high risk for infections. The setting of these units constitutes a potential reservoir of pathogenic microorganisms, which may be conveyed to susceptible hosts such as newborns and children. The aim of this study was to detect the presence of coagulase-negative Staphylococcus on surfaces and equipment in the intensive care units of a public maternity ward in Goiânia, Goiás. The research was conducted in three units, two pediatric and one neonatal. Sample collection occurred from September/2011 to July/2012. We assessed 93 materials, 48 items of equipment and 45 surfaces. The procedure for collection of samples was performed using a swab, which was inoculated into specific culture medium. The bacterial isolates were identified by microscopic analysis, macroscopic and biochemical tests. Among the materials tested, 62 (66.7%) were contaminated with coagulase-negative Staphylococcus, while 32 items of equipment (66.7%) and 30 surfaces (66.7%) were also contaminated. The incubators (90.9%) and countertops (88.9%) were the most frequently contaminated materials. A total of 65 bacteria were isolated. Some materials (n=3) were contaminated with two concomitant bacterial strains, but phenotypically different. In this study, the equipment and surfaces investigated were identified as a focus of contact for coagulase-negative Staphylococcus, presenting a risk for the transmission of microorganisms to newborns and hospitalized children. The adoption of procedures for more effective decontamination are necessary to control the spread of the bacteria in the hospital environment.
Palavras-chave: Contaminação
Infecção hospitalar
Staphylococcus
Unidade de terapia intensiva
Contamination
Nosocomial infection
Intensive care unit
País: Brasil
Instituição: Ruy de Souza Lino Junior
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG)
Citação: MORAES, Carolina Leão de; RIBEIRO, Nádia Ferreira Gonçalves; COSTA, Dayane de Melo; FURLAN, Vinícius Gontijo; PALOS, Marinésia Aparecida Prado; VASCONCELOS, Lara Stefânia Netto de Oliveira Leão. Contaminação de equipamentos e superfícies de unidades de terapia intensiva de uma maternidade pública por staphylococcus coagulase negativa. Revista de Patologia Tropical, Goiânia, v. 42, n. 4, p. 387-394 out./dez. 2013. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/iptsp/article/view/27927/15775>.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11756
Data de publicação: 2013
Aparece nas coleções:IPTSP - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Carolina Leão de Moraes - 2013.pdf183,59 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons