Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13343
Tipo do documento: Artigo
Título: Massehet sanhedrin: discurso de poder e hermenêutica sacro-literária no âmbito legislativo
Autor: Gonçalves, Ana Teresa Marques
Cruz, Nathália Queiroz Mariano
Resumo: Ao direcionarmos nosso olhar para a laicidade imputada ao mundo ocidental desde o final do século XIX, uma determinada religião nos chama atenção na medida em que suas próprias bases de fundamentação estão amparadas justamente na inalienabilidade da esfera religiosa com a secular: o judaísmo. Mais precisamente o judaísmo rabínico (ou normativo) que, diante da ausência de sua maior estrutura patrimonial e institucional, passou a reportar para as literaturas sacras um novo locus de memória, erigindo-as como elo norteador para que um judeu se reconheça como tal, ao passo que acreditamos ser indispensável uma análise dos códices sacro-legislativos partícipes desse cenário. Para tanto, recorremos ao mundo antigo, quando deu-se início ao processo de compilação da Lei oral desenvolvido por mérito do trabalho dos tanaítas, tendo como expoente o Rabbi Yehuda Hanasi, que reuniu todas as leis, tradições, explicações e interpretações que haviam sido escutadas desde Moshe, até os tribunais das gerações posteriores. Yehuda compilou tudo isto num livro chamado Mishnah, que abarca a forma final das leis orais desenvolvidas após a época dos escribas (300.a.E.C) até fins do século II E.C., sendo este último o período em que situamos nosso objeto de estudo, alocado principalmente nas mishnayot de Sanhedrin. Pretendemos com essa análise estabelecer argumentos plausíveis à compreensão do judaísmo rabínico, honroso com a tradição e flexível com as mudanças inerentes à sua contemporaneidade.
Abstract: Aiming our look to the occidental world imputed secularism since the end of the XIX century, a specific religion calls our attention once its own fundamental basis are supported precisely by the inalienability of the secular and religious sphere: the Judaism. More precisely the rabbinic Judaism (or normative), which facing the lack of its major patrimonial and institutional structure, started to report to the sacred literatures as a new memory locus, erecting them as a guiding link for a Jew to recognize himself as such, while we believe a sacred-legislative analysis of the participant codices within this scenario is indispensable. For such, we turn to the Ancient World, when the compilation of the oral Law developed by Tannaim work merit began, having Rabbi Yehuda Hanasi as an exponent, who reunited all of the laws, traditions, explanations and interpretations which had been heard since Moshe, until the courts of the posterior generations. Yehuda compelled all this inside a book called Mishnah, which covers the final form of the oral laws developed after the time of the scribe (300 b.C.E.) until the end of the II century E.C., this last being the period in which we situate our object of study, mainly locating on the mishnayot of Sanhedrin. We intend with this analysis to establish plausible arguments to the comprehension of the rabbinic Judaism, honorable towards the tradition and flexible with the inherent changes related to its contemporaneity.
Palavras-chave: Mishnah
Diáspora
Hermenêutica sacro-literária
Mishnah
Sacro-literary hermeneutics
Diaspora
Mishnah
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de História - FH (RG)
Citação: GONÇALVES, Ana Teresa Marques; CRUZ, Nathália Queiroz Mariano. Massehet sanhedrin: discurso de poder e hermenêutica sacro-literária no âmbito legislativo. Revista Labirinto, Porto Velho, v. 21, p. 45-70, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13343
Data de publicação: 2014
Aparece nas coleções:FH - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Ana Teresa Marques Gonçalves - 2014.pdf466,28 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons