Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13562
Tipo do documento: Artigo
Título: Identidades e conflito na fronteira: poderes locais e os chiquitanos
Título(s) alternativo(s): Identities and conflict at the frontier: local powers and the chiquitanos
Autor: Silva, Joana Aparecida Fernandes
Resumo: Pretendo apresentar, baseando-me na teoria das identidades e na idéia do fundamentalismo cultural, uma reflexão sobre as relações interetnicas entre os Chiquitanos e não índios, em uma região de fronteira nacional situada entre dois estados nacionais (Brasil e Bolívia). Trato aqui de um fato notável que vem ocorrendo na área estudada e que se refere à discussão da etnicidade por parte dos regionais (fazendeiros, políticos e etc.). Uma campanha, promovida por alguns políticos e pelo governador de Mato Grosso, foi veiculada entre 2005 e 2006 pela imprensa escrita no estado buscando convencer a população mato-grossense da não indianidade dos Chiquitanos e comprovar que são estrangeiros, imigrantes da Bolívia para o Brasil. O que está em jogo i não é apenas uma questão ligada à identidade e autenticidade, mas uma disputa por terras indígenas por parte dos donos de terra da região. Neste sentido, a afirmação recorrente de que ali não há índios, apenas estrangeiros e imigrantes, é uma maneira própria do fundamentalismo cultural, que admite as diferenças, mas ao admiti-las, esvazia o diferente de seus direitos legítimos e advogam-se os direitos de quem é brasileiro e nacional. Neste artigo apresenta-se uma breve história dos Chiquitanos no Brasil, buscando- se o entendimento de sua situação atual.
Abstract: I intend to present, based on identities theory and on cultural fundamentalism ideas, a reflection about interethnical relations, among the Chiquitanos and non-indians, in a region of national frontier, located between two national states (Brazil and Bolívia). I deal here with a remarkable fact lately occurring in this área which refers to ethnicity debates among regional population (politicians, farmers, etc.) A campaign, promoted by some politicians and by State of Mato Grosso governor, during 2005 and 2006, through written press, tried to convince state population of the non-indianity of the Chiquitanos and to prove that they are foreigners, i.e. Bolivian immigrants in Brazil. What is at play here, is not only a matter related to identity and authenticity, but a dispute for indigenous lands on the part of local land owners. In this sense, recurring affirmations that there are no indians in those lands, only foreigners and immigrants, is in itself a way of cultural fundamentalism, which admits differences, but when admitted, turn them empty of legitimate rights, advocating brazilians and national populations rights. It is presented in this article a short history of the Chiquitanos in Brazil, with the objective of understanding their current situation.
Palavras-chave: Identidade
Fundamentalismo cultural
Nacionalidade
Fronteira
Etnicidade
Identity
Nationality
Cultural fundamentalism
Frontier
Ethnicity
País: Argentina
Unidade acadêmica: Faculdade de História - FH (RG)
Citação: SILVA, Joana A. Fernandes. Identidades e conflito na fronteira: poderes locais e os chiquitanos. Memoria Americana, Buenos Aires, v. 16, n. 2, p. 119-148, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13562
Data de publicação: 2008
Aparece nas coleções:FH - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Joana Aparecida Fernandes Silva - 2008.pdf906,15 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons