Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14341
Tipo do documento: Artigo
Título: Erosões urbanas em Goiânia
Autor: Nascimento, Maria Amélia Leite Soares do
Resumo: A cidade de Goiânia possui um relevo suave, recoberto por solos argilosos, configurando um sítio urbano favorável numa área de 801 km2 No entanto, foram levantadas, no ano de 1993, 45 boçorocas somente nas áreas urbanas. Boçoroca é a expressão mais flagrante da erosão.O volume de terra retirado dessas erosões chega a um total de 2.888.654 toneladas, o equivalente a 240.727 caminhões-caçamba com capacidade de 12 toneladas cada um. Toda essa terra, considerando apenas a que é proveniente dessas erosões em condições naturais, vai para o rio Meia Ponte, assoreando-o dia a dia e gerando problemas sérios para a população ribeirinha, como as enchentes. No processo de urbanização crescente da cidade, utilizam-se práticas que vêm contribuindo fantasticamente para esse assoreamento e também para o próprio surgimento dessas boçorocas. A ampliação de áreas construídas e pavimentadas promove a impermeabilização do solo urbano, aumentando assim o volume e velocidade das enxurradas. Essas são conduzidas, através de bueiros e das galerias pluviais, à periferia da cidade, onde são lançadas à meia-encosta, ao invés de serem conduzidas aos córregos através de dissipadores de energia.A construção de galerias pluviais que lançam águas servidas à meia-encosta é um dos fatores geradores dessas erosões. O subdimcnsionamento dessas galerias é outro fator. Mas a falta dessa obra de engenharia também gera erosão. É o escoamento concentrado das águas da chuva ou da água servida que origina sulcos na superfície. Estes sulcos evoluem para ravinas, e estas, para boçorocas. Os danos causados por essas erosões têm sérias conseqüências sócio-econômicas, que vão da perda de casas e de solos agricultáveis à perda de vidas. Cinco mortes ocorreram cm Goiânia devido a essas erosões. Além dos riscos de acidentes, geralmente as boçorocas se tornam áreas de despejo de lixo, às vezes até e-amo tentativa desastrosa de contenção. O lixo e o lançamento de esgoto transformam as boçorocas cm focos de doenças, tornando-as mais danosas ao meio ambiente. As medidas mitigadoras que têm sido utilizadas e suas conseqüências são igualmente danosas. O presente trabalho analisa essas situações e faz dois tipos de sugestões: medidas corretivas, voltadas ao controle das boçorocas urbanas, e medidas preventivas, visando impedir que os problemas erosivos se multipliquem atingindo dimensões incontroláveis.
Abstract: Située dans une aíre de 801 km2 la ville de Goiânia est un site urbain favorable puisqu'il est formé par des sois argileux et par um rclief doux. Cepcndant, tout au long de l'année 1993 ont été repérées 45 "boçoroeas" dans son aírc urbaine e! périurbaíne (la "boçoroca" est !'exemple le plus évident de l'érosion"). Le volume de !erre touché par ces érosions arrive à 2.888.654 tonnes. Toute cette terre a 1c fleuve Meia Ponte comme destination; elle l'ensable constammcnt et provoque l'augmcntation des montants.Le principal rcsponsable par ees "boçoroeas" est le proccssus d'urbanisation accéléré de la ville de Goiânia ear l'augmentatíon des aires pavées occasionne volume et la véloeité des torrents d'eaux pluvíales. Donc, e'est l'écoulcmcnt concentré des eaux pluviales, aínsí que de l'eau servi, que síllonncnt la surface. Ces sillons évolucnt a ravin ct ceux-ci devícnnent lcs "boçorocas". Les conséquenccs socio-économiqucs de ccs érosíons sont três séricuses. En cfTct, en plus des grandes préjudices matéricls il y a à Goiânia, cn 1993, cinq morts à cause dcs érosions. Quoique des mesures corrcctivcs sont souvcnt tcntécs, leur caractere palliatiflcur rend égalcmcnt nocivcs. En effet, en plus des risques d'acciden!s, lcs "boçorocas" sont une grave attcnte à l'cnvironncment et dcvienncnt foycr de maladies à cause, surtout, de l'égout aecumulé. Ce travai!, donc, essaye d'analyscr ces situations cn faísant dcux types de suggcstion: la prcmiêre verse sur lcs mesures corrcctives tournées vers 1c contrôlc dcs "boçorocas" urbaínes; la dcuxii:mc verse sur lcs mesures prévcntives qui visent cmpêchcr l'insta!latíon ct la multiplication dcs problcmes érosifs.
Palavras-chave: Erosões urbanas
País: Brasil
Instituição: Maria Helena Melo Cunha Santos
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Instituto de Estudos Socioambientais - IESA (RG)
Citação: NASCIMENTO, Maria Amélia L. S.; Erosões urbanas em Goiânia. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 14, n. 1, p. 77-101, jan./dez. 1994. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/bgg/article/view/4334/3798>.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.5216/bgg.v14i1.4334
Identificador do documento: 10.5216/bgg.v14i1.4334
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14341
Data de publicação: Dez-1994
Aparece nas coleções:IESA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Maria Amélia Leite Soares do Nascimento - 1994.pdf899,79 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons