Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15097
Tipo do documento: Artigo
Título: Avaliação do autoconceito em cadeirantes praticantes de esporte adaptado
Título(s) alternativo(s): Assessing selfconcept for wheel chair users practicing disabled sports
La evaluación del autoconcepto em silla de ruedas qué práticam deportes adptado
Autor: Sernaglia, Mirella Bagdadi
Duarte, Edison
Déa, Vanessa Helena Santana Dalla
Resumo: Este estudo teve como objetivo avaliar o autoconceito, por meio de suas dimensões (somática, pessoal, social e éticomoral), de cadeirantes que praticam esporte adaptado. O instrumento utilizado foi a Escala Fatorial do Autoconceito (EFA), proposto por Tamayo (1981). Os dados foram coletados uma única vez, em 13 voluntários, com idade de 28,46 anos, com lesão medular, independente do sexo e que praticam esporte adaptado por no mínimo duas horas semanais, há pelo menos três meses. Os resultados mostraram o autoconceito global com um escore de 3.99. Concluise que a população estudada avalia seu autoconceito de forma negativa, comparado a estudos anteriores com outras populações.
Abstract: In this study, we aimed at assessing selfconcept by using its aspects (somatic, personal, social, ethicalmoral) for wheelchair users who practise disabled sports. The tool used was the SelfConcept Scale Factor (sCSF), proposed for Tamayo (1981). We collected data only once from 13 volunteers, aged 28.46 years, with SCI (regardless of gender), and from volunteers practising disabled sports for at least two hours weekly within at least three months. The results showed the global selfconcept with a score of 3.99. We conclude that the population assesses their selfconcept negatively, compared to previous studies to other populations.
Este estudio tuvo como objetivo evaluar el concepto de sí mismo, por sus dimensiones (somático, personal, social y éticomoral), de silla de ruedas que practican deportes adaptado. El instrumento utilizado fue la Escala Fatorial do Autoconceito (EFA), propuesta por Tamayo (1981). Se recogieron datos de 13 voluntarios con una edad de 28,46 años (SD = 5.93), las lesiones medulares de origen traumático, sin importar el sexo, la práctica de deportes adaptados para al menos dos horas semanales durante al menos 3 meses. Los resultados mostraron el concepto de sí mismo de la población fue negativo, con una puntuación de 3,99. Estos resultados indican que las personas con lesion de la médula espinal de origen traumático que prácticam deportes adaptados evaluar su autoconcepto negativo
Palavras-chave: Autoconceito
Pessoa com deficiência física
Lesão medular
Esporte adaptado
Selfconcept with physical disabilities
SCI
Disabled sports
Persona com discapacidad
Lesión de médula espinal
Deportes adaptado
País: Brasil
Instituição: Ana Márcia Silva
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Educação Física e Dança - FEFD (RG)
Citação: SERNAGLIA, Mirella Bagdadi; DUARTE, Edison; DÉA, Vanessa Helena Santana Dalla. Avaliação do autoconceito em cadeirantes praticantes de esporte adaptado. Pensar a Prática, Goiânia, v. 13 n. 3, p. 1-18, set./dez. 2010. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/10223/8397>.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.5216/rpp.v13i3.10223
e- 1980-6183
Identificador do documento: 10.5216/rpp.v13i3.10223
e- 1980-6183
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15097
Data de publicação: Dez-2010
Aparece nas coleções:FEFD - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Mirella Bagdadi Sernaglia - 2010.pdf1,69 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons