Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15913
Tipo do documento: Artigo
Título: Influência da hereditariedade em marcadores de risco para hipertensão arterial
Título(s) alternativo(s): Association of heredity in risk markers for hypertension
Autor: Jardim, Thiago de Souza Veiga
Moreira, Humberto Graner
Almeida, Enieberton Cartafina de
Nazareno, Larissa Simões
Sousa, Ana Luiza Lima
Souza, Weimar Sebba Barroso
Ribeiro, Ludmila
Jardim, Paulo César Brandão Veiga
Resumo: Fundamento: Fatores genéticos e ambientais são importantes na determinação da pressão arterial (PA). Alterações na PA, na resistência à insulina (RI) e ecocardiograma, têm sido estudadas em descendentes de hipertensos com resultados contraditórios. Objetivos: Estudar PA, RI, teste ergométrico (TE), morfologia e função cardíaca em jovens normotensos com e sem história familiar de hipertensão arterial (HA). Métodos: Estudo observacional. Jovens de 18 a 30 anos, divididos em 3 grupos: sem história familiar de hipertensão; um dos pais hipertensos; ambos os pais hipertensos. Excluídos hipertensos, obesos, tabagistas, em uso de medicação e com comorbidade. Feita avaliação antropométrica, PA casual, Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA), TE, Ecocardiograma, Índice de HOMA. Diferença entre os grupos – ANOVA e teste t, comparação dos grupos – teste t de Student. Correlação de Pearson para relações entre as variáveis e correlação parcial, controlada para sexo, entre a hereditariedade e as outras variáveis. Significante p<0,05. Resultados: Estudados 63 indivíduos. G1 (n=21), G2 (n=22) e G3 (n=20). Idade média 21,1±2,2 anos, 39,1% homens. Sem diferenças na idade, peso, altura, IMC, PA casual e MAPA. O G3 apresentou tendência a menor descenso noturno da PA sistólica (PAS) (p=0,052), maiores níveis de insulina (p=0,019), maior HOMA (p=0,006) e maior diâmetro de átrio esquerdo (DAE) (p=0,020). Relação positiva entre DAE e PAS (p=0,005), insulina sérica (p=0,003) e HOMA (p=0,003). Conclusões: Descendentes de hipertensos apresentam maior RI, alterações no ritmo circadiano da PA e maior DAE, mesmo com valores normais de PA.
Abstract: Background: Genetic and environmental factors are equally important in determining blood pressure (BP). Changes in BP, insulin resistance (IR) and echocardiograms have been studied in offspring of hypertensive parents with contradictory results. Objective: Studying IR, BP, exercise test, cardiac morphology and function with echocardiogram, in normotensive young, with and without family history (FH) of hypertension (HTN). Methods: Students, 18 to 30 years, were included. They were divided into 3 groups: neither parent with HTN – G1, one of parents with HTN – G2 and both parents with HTN – G3. Exclusion criteria – HTN, obesity, smoking, using medication and comorbidities. The study evaluated weight, height, Body Mass Index (BMI), office BP, Ambulatory Blood Pressure Measurement (ABPM), exercise test, glycemia, insulin, HOMA-IR and Echocardiogram. ANOVA test was used to compare groups. Partial correlation adjusted for sex was used to evaluate associations. Results: Sixty-three individuals were studied. They were divided into 3 groups: G1 (n=21), G2 (n=22) and G3 (n=20). Mean age was 21.1±2.2 years, 39.1% were males. There was no difference regarding age, weight, height, BMI, office BP and ABPM. Group 3 had the lowest dipping of systolic BP (SBP) (p=0.052), the highest insulin levels (p=0.019), HOMA (0.006) and left atrium diameter (LAD) (p=0.020). We found a positive correlation between LAD with SBP (p=0.005), serum insulin (p=0.003) and HOMA (p=0.003). Conclusion: Results indicate that young offspring of hypertensive parents had more IR, changes in the BP circadian rhythm and have a bigger LAD, even with normal BP values.
Palavras-chave: Hipertensão
Hereditariedade
Fatores de risco
Hypertension
Heredity
Risk factors
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Citação: JARDIM, Tiago de Souza Veiga et al. Influência da hereditariedade em marcadores de risco para hipertensão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão, Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 65-71, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15913
Data de publicação: 2015
Aparece nas coleções:FEN - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Thiago de Souza Veiga Jardim - 2015.pdf169,24 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons