Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16289
Tipo do documento: Artigo
Título: Relação entre a variabilidade da frequência cardíaca e VO 2pico em mulheres ativas
Título(s) alternativo(s): Relationship between heart rate variability and vo 2peak in active women
Relación entre la variabilidad de la frecuencia cardíaca y vo 2pico en mujeres activas
Autor: Tamburús, Nayara Yamada
Rebelo, Ana Cristina Silva
César, Marcelo de Castro
Catai, Aparecida Maria
Takahashi, Anielle Cristhine de Medeiros
Andrade, Carolina Pieroni
Porta, Alberto
Silva, Ester da
Resumo: Objetivo: Avaliar a associação entre os índices da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e a aptidão cardiorrespiratória. Métodos: Sessenta e duas mulheres (idade 22,1 ± 3,3 anos) foram divididas em quatro gru- pos: treinamento aeróbio (AER, n = 15), treinamento de força (FOR, n = 13), treinamento combinado (aeróbio e força) (AER+FOR, n = 15) e controle (C, n = 19). O teste cardiopulmonar foi realizado para avaliar a aptidão cardiorrespiratória a partir do consumo de oxigênio pico (VO 2pico ). A FC foi coletada em repouso na postura supina. A VFC foi analisada a partir de métodos lineares e não lineares. Resultados: Os grupos AER e AER+FOR apresentaram maiores índices da VFC (lineares e não lineares) indicadores da modulação vagal e menores índices da VFC indicadores da modulação simpática, em relação ao grupo C. Os grupos AER e AER+FOR apresentaram maior complexidade e menor regularidade dos intervalos RR e maior VO 2pico em relação aos grupos FOR e C. O VO 2pico apresentou correlação com os índices da VFC. Conclusão: Este estudo mostrou que o treinamento físico aeróbio e combinado contribuíram significativamente para maior modulação autônoma da FC e aptidão cardiorrespiratória. A modulação autônoma da FC, avaliada a partir de métodos lineares e não lineares, está associada ao maior consumo de oxigênio.
Abstract: Objective: To evaluate the associations between heart rate variability (HRV) with cardiorespiratory fitness. Methods: Sixty-two women (aged 22.1 ± 3.3) were divided into four groups: aerobic training (AER, n = 15), streng- th training (STR, n = 13), combined aerobic and strength training (AER+STR, n = 15) and controls (C, n = 19). Cardiopulmonary exercise testing was performed to measure cardiorespiratory fitness by assessing peak oxygen consumption (VO 2peak ). The HR was recorded at rest in the supine position. The HRV was analyzed by linear and nonlinear methods. Results: The AER and AER+STR groups had higher vagal HRV (linear and nonlinear) indica- tors of vagal modulation and lower indices of HRV indicators of sympathetic modulation, compared to group C. The AER and AER+STR groups showed greater complexity and lower regularity of R-R intervals and higher peak compared to STR and C groups. The VO 2peak was correlated with HRV indices. Conclusion: This study showed that aerobic and combined exercise significantly contributed to greater autonomic modulation of HR and cardiores- piratory fitness. The autonomic HR modulation, assessed by linear and nonlinear methods, was associated with a greater oxygen consumption.
Objetivo: Evaluar la asociación entre los índices de variabilidad de la frecuencia cardíaca (VFC) y la aptitud cardiorrespiratoria. Métodos: Sesenta y dos mujeres (edad 22,1 ± 3,3 años) fueron divididas en cuatro grupos: entrenamiento aeróbico (AER, n = 15), entrenamiento de fuerza (FOR, n = 13), entrenamiento combinado (aeróbico y fuerza) (AER+FOR, n = 15) y control (C, n = 19). El test cardiopulmonar fue realizado para evaluar la aptitud cardiorrespiratoria a partir del consumo de oxígeno pico (VO 2pico ). La FC fue colectada en reposo en la postura supina. La VFC fue analizada a partir de métodos lineales y no lineales. Resultados: Los grupos AER y AER+FOR presentaron mayores índices de VFC (lineales y no lineales) indicadores de la modulación vagal y menores índices de VFC indicadores de la modulación simpática, en relación al grupo C. Los grupos AER y AER+FOR presentaron mayor complejidad y menor regularidad de los intervalos RR y mayor VO 2pico en relación a los grupos FOR y C. O VO 2pico presentó correlación con los índices de VFC. Conclusión: Este estudio mostró que el entrenamiento físico aeróbico y combinado contribuyeron significativamente para mayor modulación autónoma de FC y aptitud cardiorrespiratoria. La modulación autónoma de FC, evaluada a partir de métodos lineales y no lineales, está asociada al mayor consumo de oxígeno.
Palavras-chave: Exercício
Consumo de oxigênio
Sistema nervoso autônomo
Exercise
Autonomic nervous system
Oxygen consumption
Ejercicio
Consumo de oxígeno
Sistema nervioso autónomo
País: Brasil
Unidade acadêmica: Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Citação: TAMBURÚS, Nayara Yamada et al. Relação entre a variabilidade da frequência cardíaca e VO 2pico em mulheres ativas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 354-358, set./out. 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.1590/1517-86922014200502010
Identificador do documento: 10.1590/1517-86922014200502010
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16289
Data de publicação: Out-2014
Aparece nas coleções:FM - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Nayara Yamada Tamburús - 2014.pdf184,73 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons