Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16857
Tipo do documento: Artigo
Título: Terapia medicamentosa da doença de alzheimer
Título(s) alternativo(s): Drug therapy for alzheimer’s disease
Autor: Chaves, Marina de Brito
Aversi-Ferreira, Tales Alexandre
Resumo: A Doença de Alzheimer (DA) é uma desordem neurodegenerativa progressiva manifestada por deterioração da memória associada a declínio neurofuncional, distúrbios comportamentais e sintomas psíquicos. A DA tem uma etiologia heterogênea com várias possíveis causas, incluindo suscetibilidade genética, alterações metabólicas, processamento anormal de proteínas, déficits de neurotransmissores. É de conhecimento geral que a DA é uma patologia de alta freqüência em pacientes maiores de 65 anos de idade. O diagnóstico é baseado em características clínicas, no entanto um diagnóstico definitivo requer examinação histopatológica do cérebro após a morte do paciente. Os vários estudos e revisões sobre a DA ou focam somente uma classe de medicamentos, um grupo farmacêutico específico, características psicológicas da doença ou características bioquímicas, no entanto, nessa revisão discutimos as ações das várias drogas e sua eficácia parcial, pois não há, ainda, fármacos que tenham ação efetiva contra essa demência. Foi objetivo associar as várias informações sobre os medicamentos usados no tratamento da DA com foco nos que agem no metabolismo da neurotransmissão colinérgica, exotoxicidade do glutamato e fitoterapia envolvendo os mesmos e outros mecanismos de ação metabólica, além de discutir alguns aspectos que venham a interferir na busca de descobertas de medicamentos mais eficientes para o tratamento da DA, levando em conta possíveis problemas éticos e psicossociais. Em conclusão, os medicamentos formulados para o tratamento da DA das classes anticolinérgicas, memantina e fitoterápicos não impedem a evolução da demência e têm efeitos paliativos. É possível que os aspectos éticos e psicossociais dos estudiosos envolvidos na esfera dessa demência dificultem a descoberta de novas técnicas para o tratamento da DA.
Abstract: The Alzheimer's Disease (AD) is a progressive neurodegenerative disorder manifested by the deterioration of memory associated with neurofuncional decline, behavioral disorders and psychological symptoms. The AD has a heterogeneous etiology with several possible causes, including genetic susceptibility, metabolic abnormalities, abnormal processing of proteins, and deficits of neurotransmitters. It is known that the AD is a condition of high frequency among patients older than 65 years of age. The diagnosis is based on clinical characteristics; however, a definitive diagnosis requires the histopathologic examination of the brain after the patient’s death. The several studies and reviews on AD either focus on only one class of drugs, a specific pharmaceutical group, psychological characteristics of the disease or on biochemical characteristics, however, this review discussed the actions of various drugs and their partial effectiveness, because drugs that have effective action against such dementia have not yet been discovered. The objective of this paper was also to associate information about the various drugs used to treat AD with focus on those that act on the cholinergic neurotransmission metabolism, glutamate exotoxicity and phytotherapy involving them and other metabolic action mechanisms, as well as to discuss some aspects that may interfere with the search for discoveries of more effective medicines for the treatment of AD, taking into account possible psychosocial and ethical problems. In conclusion, drugs formulated for the treatment of the AD of anticholinergic, memantine and phytotherapy classes do not prevent the development of dementia and have palliative effects. It is possible that the psychosocial and ethical aspects of researchers involved in the sphere of this dementia impair the discovery of new techniques for the treatment of the AD.
Palavras-chave: Doença de alzheimer
Inibidores da acetilcolinesterase
Memantina
Fitoterapia
Alzheimer's disease
Acetylcholinesterase inhibitors
Memantine
Phytotherapy
País: Brasil
Instituição: Marize Campos Valadares
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Farmácia - (FF)
Citação: CHAVES, Marina de Brito; AVERSI-FERREIRA,Tales Alexandre. Terapia medicamentosa da doença de Alzheimer. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 1-7, jan./abr. 2008. Disponível em: <https://revistas.ufg.br/REF/article/view/4608/3931>.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.5216/ref.v5i1.4608
Identificador do documento: 10.5216/ref.v5i1.4608
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16857
Data de publicação: Abr-2008
Aparece nas coleções:FF - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Marina de Brito Chaves - 2008.pdf145,21 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons