Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/17510
Tipo do documento: Artigo
Título: A língua de sinais na concepção de otorrinolaringologista e fonoaudiólogo
Título(s) alternativo(s): Sign language from the viewpoint of an otorhinolaryngologist and speech-language pathologist
La lengua de señas en la concepción delotorrinolaringologista y fonoaudiologo
Autor: Chaveiro, Neuma
Silva, Claudney Maria de Oliveira
Almeida, Ednéia Aparecida de Paula
Ferreira, Kelle Cristina
Souza, Layla Silva
Araújo, Raquel Silva Pereira de
Rodrigues, Renato Vieira
Resumo: Este artigo tem como objetivos investigar a orientação dos médicos otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos sobre a aquisição de língua e também a concepção desses profissionais sobre a língua de sinais diante de um diagnóstico de surdez. A pesquisa, de abordagem qualitativa, foi realizada por meio de uma entrevista estruturada e questionário com perguntas abertas. A análise dos dados demonstrou que há divergência de opiniões quanto à orientação dada às famílias dos pacientes. Para o otorrinolaringologista, dependendo do tipo e do grau de surdez, é possível o uso do aparelho auditivo ou a realização do implante coclear, deixando clara a sua opção por uma orientação de cunho oralista, enquanto a fonoaudióloga recomenda o uso da Libras.
Abstract: This article aims at investigating the guidance of speech therapists and otorhinolaryngologists about language acquisition, as well as evaluating these professionals’ different conceptions about sign language when faced with a diagnostic of deafness. The qualitative analysis research was done by means of a structured interview and questionnaire with open-ended questions. The data analysis showed that these professionals diverge when it comes to the guidance offered these patients’ families. For the otorhinolaryngologist, depending on the type and level of deafness, it is possible to use hearing aids or a cochlear implant, which makes clear their preference for an oralist approach, while the speech-language pathologist recommends the use of Libras.
Este artículo tiene el objetivo de investigar la orientación de los médicos otorrinolaringologistas y fonoaudiólogos sobre la adquisición de una lengua y también la concepción de esos profesionales sobre la lengua de señas ante un diagnóstico de sordez. La investigación, de enfoque cualitativo, fue desarrollada a través de una entrevista estructurada y un cuestionario con preguntas abiertas. El análisis de los datos demostró que hay desacuerdo entre las opiniones con relación a la orientación dada a las familias de los pacientes. Para el otorrinolanringologista, dependiendo del tipo y grado de sordez, es posible el uso del aparato auditivo o la realización del implante coclear, dejando clara su opción por una orientación de cuño oralista, mientras la fonoaudióloga recomienda el uso de LIBRAS.
Palavras-chave: língua de sinais
Surdo
Diagnóstico de surdez
Sign language
Deaf
Deafness diagnosis
Lengua de señas
Sordo
Diagnóstico de sordez
País: Brasil
Instituição: Sueli Maria de Oliveira Regina
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Letras - (FL)
Citação: CHAVEIRO, Neuma; SILVA, Claudney Maria de Oliveira; ALMEIDA, Ednéia Aparecida de Paula; FERREIRA, Kelle Cristina; SOUZA, Layla Silva; ARAÚJO, Raquel Silva Pereira de; RODRIGUES, Renato Vieira. A língua de sinais na concepção de otorrinolaringologista e fonoaudiólogo. Revista Sinalizar, Goiânia, v. 1, n. 2, p. 204-210, jul./dez. 2016. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/revsinal/article/view/36085/22083.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.5216/rs.v1i2.36085
Identificador do documento: 10.5216/rs.v1i2.36085
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/17510
Data de publicação: Dez-2016
Aparece nas coleções:FL - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Neuma Chaveiro - 2016.pdf416,24 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons