Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/17538
Tipo do documento: Artigo
Título: Intravitreal bevacizumab combined with infliximab in the treatment of choroidal neovascularization secondary to age-related macular degeneration: case report series
Título(s) alternativo(s): Administração intravítrea de bevacizumabe combinado com infliximabe no tratamento da neovascularização coroidiana secundária à degeneração macular relacionada à idade: relato de uma série de casos
Autor: Freitas, Luiz Guilherme Azevedo de
Isaac, David Leonardo Cruvinel
Tannure, William Thomas
Gabriel, Luís Alexandre Rassi
Reis, Ricardo Gomes dos
Rassi, Alan Ricardo
Freitas Neto, Clovis Arcoverde de
Ávila, Marcos Pereira de
Resumo: Objetivo: Avaliar a viabilidade do uso combinado do bevacizumabe (Avastin ® ) e do infliximabe (Remicade ® ) no tratamento da degeneração macular relacionada à idade neovascular em pacientes sem tratamentos prévio. Métodos: Foram realizadas injeções intravítreas de bevacizumabe combinado com infliximabe em 6 pacientes portadores de degeneração macular relacionada à idade neovascular. Todos foram submetidos ao exame oftalmológico completo, no primeiro dia de consulta, no dia seguinte a cada injeção e mensalmente até completar seis meses após a primeira injeção. Foram realizados tomografia de coerência óptica e angiografia fluoresceínica na primeira consulta e mensalmente, até completar 6 meses após o primeiro procedimento. Eletrorretinografia também foi realizada antes da injeção e 30 dias após, no intuito de avaliar toxidade retiniana. Resultados: Ao final de 30 dias da primeira injeção, 5 (83%) pacientes apresentaram diminuição na espessura macular. Não foi visualizada alteração à eletrorretinografia em relação ao exame inicial em 100% os pacientes. Cinco pacientes (100% dos fá­ cicos) desenvolveram catarata. Um paciente desenvolveu vitreíte e foi tratado com sucesso. Ao final dos 6 meses, 4 pacientes apresentaram melhora significativa da neovasculariza­­­ção de coroide, porém ainda com foco de neovascularização em atividade, um paciente apresentava discreta persistência de fluido submacular sem neovascularização ativa e 1 paciente persistia importante quantidade de fluido in­­­ trarretiniano com neovascularização em atividade. Discussão: Avaliou-se o uso combinado do bevacizumabe com infliximabe em pacientes portadores de degeneração macular relacionada à idade neovascular e a associação mostrou-se eficaz na redução do vazamento da neovascularização de coroide e da espessura macular ao tomografia de coerência óptica. Não é possível, no entanto, afirmar se os resultados apresentam efeitos sinérgicos pela associação entre as duas drogas. Um estudo com maior número de casos é necessário para definir exatamente as taxas de catarata e vitreíte da associação entre as drogas, no entanto, ao menos na dosagem estudada no presente trabalho, a associação não deveria ser recomendada na prática clínica.
Abstract: Purpose: To evaluate the feasibility of the combined use of bevacizumab (Avastin ® ) and combined with infliximab (Remicade ® ) in the treatment of naive choroidal neovascularization due to age-related macular degeneration eyes. Methods: Intravitreal injections of bevacizumab combined with infliximab in 6 neovascular age-related macular degeneration eyes. All patients underwent complete ophthalmologic examination on the initial visit and at days 1, 30, 60, 90, 120, 150 and 180 following the first injection. Optical coherence tomography and fluorescein angiography were performed during at initial visit and monthly during the 6 months follow-up period. Electroretinography was performed before and 30 days after initial injection, in order to evaluate retinal toxicity induced by such treatment. Results: Thirty days after the first injection, 5 eyes (83%) shown decrease in ma- cular thickness. No change was seen in electroretinogram in any eyes compared to initially performed electroretinogram. All phakic eyes developed cataract. One patient developed vitritis and was submitted to medical treatment successfully. At the end of the 6 months follow-up period, 4 patients showed significant im- provement in the exudative process of choroidal neovascularization. One eye had mild persistent submacular fluid without active choroidal neovascularization, and another eye had persistent amount of intraretinal fluid due to active choroidal neovascularization. Conclusion: The combined use of bevacizumab with infliximab in eyes with neo­­­­­­ vascular age-related macular degeneration was effective in reducing leakage and improving the macular thickness. However, it is not possible to assert that the results were related to synergic effects of the combination therapy. A con- trolled study with more cases is necessary to precisely define the complica­t ion rates; however the dosage and/or association of drugs studied in this research should not be recommended in clinical practice due to cataract as well as in­­­ flam­­­­­m atory reaction.
Palavras-chave: Retina
Macular degeneration/complications
Choroidal neovascula- rization/etiology
Intravitreal injections
Optical coherence tomography
Angio- genesis inhibitors/therapeutic use
Retina
Degeneração macular/complications
Neovascularização retiniana/etiologia
Injeções intravítreas
Tomografia de coerência óptica
Inibidores da angiogênese/uso terapêutico
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de Medicina - FM (RG)
Citação: FREITAS, Luiz Guilherme Azevedo de et al. Intravitreal bevacizumab combined with infliximab in the treatment of choroidal neovascularization secondary to age-related macular degeneration: case report series. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, Rio de Janeiro, v. 76, n. 3, p. 180-184, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.1590/S0004-27492013000300010
Identificador do documento: 10.1590/S0004-27492013000300010
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/17538
Data de publicação: 2013
Aparece nas coleções:FM - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Luiz Guilherme Azevedo de Freitas - 2013.pdf968,49 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons