Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18095
Tipo do documento: Artigo
Título: Os paradoxos da identidade e seu papel como limitadores de uma teoria funcional da linguagem
Autor: Velloso, Araceli Rosich Soares
Resumo: O paradoxo da análise e a antinomia da relação de nomeação são dois argumentos que servem para explicitar um aspecto paradoxal das interpretações filosóficas da identidade. Meu objetivo nesse artigo será o de investigar esses paradoxos e seus papeis como limitadores de uma teoria semântica. Usarei como guia dessa investigação a hipótese de que as dificuldades nas quais todas as teorias semânticas investigadas incorrem não se devem a tese da relação de nomeação, como diria Carnap, mas ao caráter composicional dessas teorias. Essa investigação se dará em duas etapas. A primeira será uma investigação a cerca das soluções que foram historicamente apresentadas para evitar esses paradoxos. Procuraremos mostrar que cada uma dessas soluções envolve de alguma maneira o problema de lidar com esse aspecto composicional. Em especial, daremos ênfase a uma tentativa fracassada de solução defendida por Quine, Carnap e mesmo Wittgenstein e Russell, num certo período, que ficou conhecida como a tese da extensionalidade. A segunda etapa consistirá em uma avaliação crítica sobre em que medida a verdadeira causadora dos paradoxos não seria uma preferência filosófica equivocada por uma abordagem composicional da linguagem.
Abstract: The Paradox of Analysis and the Antinomy of the Name-Relation are two arguments commonly used to clear up a paradoxical aspect of the interpretation of identity. My aim in this paper is to investigate those paradoxes and their limiting role in the constitution of a semantic theory. I will use as a guide line of this investigation the hypothesis that the difficulties in which all the semantics theories investigated fall are due not to the name-relation thesis, as Carnap will say, but to the compositional character of those theories. The investigation will take place in two stages. The first one will be an investigation on the historical solutions that were presented to avoid those paradoxes. I will try to show that every one of those solutions involves somehow the problem of handling compositionality. I will pay special attention to an unsuccessful attempt of solution known as “The Thesis of Extensionality” defended by Quine, Carnap and even Wittgenstein and Russell, for a while. The second stage will be a critical evaluation of the cause of the paradoxes. My thesis, as I said before, is that the real cause wasn’t the name relation thesis but a philosophical preference for a compositional semantic approach.
Palavras-chave: Antinomia da relação de nomeação
Frege
Identidade
Paradoxo da análise
Tese da extensionalidade
Antinomy of the name-relation
Identity
The paradox of analysis
Thesis of extensionality
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG)
Citação: VELLOSO, Araceli. Os paradoxos da identidade e seu papel como limitadores de uma teoria funcional da linguagem. Princípios, Natal, v. 16, n. 26, jul./dez. p. 5-34, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18095
Data de publicação: Dez-2009
Aparece nas coleções:FAFIL - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Araceli Rosich Soares Velloso - 2009.pdf143,9 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons