Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18353
Tipo do documento: Artigo
Título: Geografia, relações étnicoraciais e educação: a dimensão espacial das políticas de ações afirmativas no ensino
Título(s) alternativo(s): Geography, ethnicracial relations and education: the spatial dimension of affirmative action policies in education
Géographie, relations ethniqueratiales et éducation: la dimension spatiale des politiques d’actions affirmatives dans l’enseignement
Autor: Ratts, Alecsandro José Prudêncio
Resumo: O mito de um país formado harmonicamente por três raças – indígena, branca e negra – é uma “ideologia geográfica” que permeia as interpretações da nação e do território brasileiros, desde aos anos 1930. Um paulatino aparecimento político de negros, quilombolas e indígenas no cenário nacional marca o debate público e os estudos acadêmicos desde os anos 1970 e levou à adoção de políticas de Ações Afirmativas no século 21. No que diz respeito à Geografia e ao ensino da disciplina, nota-se o crescimento do interesse acerca desses temas bem como em situações que perpassam da escala local à mundial: conflitos fundiários, segregação espacial, e constituição de lugares étnicos (expressões espaciais da identidade negra, indígena, quilombola, cigana) num mundo racializado.
Abstract: The myth of a country formed harmony by three races – indigenous, black and white – is a “geographical ideology” which permeates the interpretations of the nation and Brazilian territory, since the 1930s. A gradual emergence of political black, Maroon and indigenous national marks landscape public debate and academic studies since the 1970s and led to the adoption of Affirmative Action policies in the 21st century. In the field of Geography, with indications for teaching discipline, noted the growth of interest about these themes as well as in situations that extend from local scale to global scale: land conflicts, spatial segregation, and constitution of ethnic places (spatial expressions of black, indigenous, Maroon, Gypsy identity) in a world racialized.
Le mythe d’un pays formé harmonieusement par trois races - indigène, blanche et noire - est une « idéologie géographique » sur laquelle se fondent les interprétations de la nation et du territoire brésiliens, depuis aux années 1930. Une emergence politique progressive des noirs, des quilombolas et des indigènes dans le scénario national, marque le débat public et les études académiques depuis les années 1970 et conduit à l’adoption des politiques d’Actions Affirmatives dans le siècle XXI. En ce qui concerne la Géographie et l’enseignement de cette discipline, on remarque un intérêt croissant relatif à ces sujets ainsi qu’aux situations qui s’étendent de l’échelle locale a l’échelle mondiale: conflits agraires, ségrégation spatiale, et constitution de lieux ethniques (expressions spatiales de l’identité noire, indigène, quilombola, gitane) dans un monde racialisé.
Palavras-chave: Geografia
Educação
Relações étnico-raciais
Ações afirmativas
Geography
Education
Ethnic-racial relations
Affirmative actions
Géographie
Éducation
Relations ethnico-raciales
Actions affirmatives
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Antropologia Social
Citação: RATTS, Alecsandro José Prudêncio. Geografia, relações étnico-raciais e educação: a dimensão espacial das políticas de ações afirmativas no ensino. Terra Livre, São Paulo, v. 1, n. 34, p. 125-140, jan./jun. 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18353
Data de publicação: Jun-2010
Aparece nas coleções:FCS - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Alecsandro José Prudêncio Ratts - 2010.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons