Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18374
Tipo do documento: Artigo
Título: Desigualdade racial e de gênero no Brasil: o trabalho em quadros superiores e de dirigentes
Autor: Nunes, Jordão Horta
Resumo: As análises da desigualdade no interior dos quadros superiores e de dirigentes são pouco frequentes nos estudos sobre gênero, raça e trabalho no Brasil. O objetivo específico deste artigo é mensurar os diferenciais médios entre os rendimentos de trabalhadores/as negros e os rendimentos de trabalhadores/ as brancos/as no grande grupo ocupacional de “membros superiores do poder público, dirigentes de organizações de interesse público e de empresas e gerentes”, para determinar o peso de fatores produtivos e da discriminação racial e sexual sobre a renda média. Emprega-se uma análise quantitativa de microdados extraídos da RAIS, utilizando os métodos de decomposição de Oaxaca-Blinder e de Jun, Murphy e Pierce. Os resultados da decomposição dos rendimentos de trabalhadores nos quadros superiores e de gerentes indicam que a remuneração entre brancos e negros se torna progressivamente desigual, em favor dos brancos, quando se passa a comparar negros e brancos nos pontos mais altos da escala de renda. Em relação a grupos de sexo, a diferença nos atributos apresentados pelos gerentes, gestores e diretores não é suficiente para explicar toda a disparidade de rendimentos entre homens e mulheres. Ao contrário, o incremento educacional das mulheres é suplantado pelo peso da discriminação, que também aumenta ao longo da distribuição de renda, ainda que a amplitude desse aumento não seja tão grande quanto o é para a relação entre brancos e negros.
Abstract: The inequality analyzes within senior officials and managers are infrequent in studies on work, gender and race in Brazil. Thus, the specific objective of this text is to measure the average differentials between black workers’ incomes in the large occupational group of “senior members of government, managers of public interest organizations and of companies and managers”, in order to determine the weight of productive factors and racial and sexual discrimination on average income. A quantitative analysis of microdata extracted from RAIS using the Oaxaca-Blinder and Jun, Murphy and Pierce decomposition methods is used. The results of the decomposition of the incomes of workers in managers and managers indicate that the white and black people incomes become progressively unequal in favor of white people when comparing black and white people at the highest points of the income scale. In relation to gender, the difference in attributes presented by managers and directors is not enough to explain the entire income disparity between men and women. On the contrary, the educational increase of women is supplanted by the weight of discrimination, which also increases along the distribution of income, although the amplitude of this increase is not so great as it is for the relation between white and black people.
Los análisis de la desigualdad en el interior de los cuadros superiores y de dirigentes son poco frecuentes en los estudios sobre género, raza y trabajo en Brasil. El objetivo específico en este artículo es medir los diferenciales medios entre los ingresos de trabajadores / as negros y los rendimientos de trabajadores / as blancos en el gran grupo ocupacional de “miembros superiores del poder público, dirigentes de organizaciones de interés público y de empresas y gerentes”, para determinar el peso de factores productivos y de la discriminación racial y sexual sobre la renta media. Se emplea un análisis cuantitativo de microdatos extraídos de la RAIS, utilizando los métodos de descomposición de Oaxaca-Blinder y de Jun, Murphy y Pierce. Los resultados de la descomposición de los rendimientos de los trabajadores en los cuadros superiores y de los gerentes indican que la remuneración entre blancos y negros se vuelve progresivamente desigual en favor de los blancos cuando se compara a los blancos y blancos en los puntos más altos de la escala de ingresos. En relación a grupos de sexo, la diferencia en los atributos presentados por los gerentes, gestores y directores no es suficiente para explicar toda la disparidad de rendimientos entre hombres y mujeres. Por el contrario, el incremento educativo de las mujeres es suplantado por el peso de la discriminación, que también aumenta a lo largo de la distribución de la renta, aunque la amplitud de este aumento no sea tan grande como lo es para la relación entre blancos y negros.
Palavras-chave: Trabalho
Raça
Gênero
Desigualdade
Discriminação
Labour
Race
Gender
Inequality
Discrimination
Trabajo
Raza
Género
Desigualdad
Discriminación
País: Brasil
Instituição: Tania Ludmila Dias Tosta
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Ciências Sociais (FCS) - RG
Citação: NUNES, Jordão Horta. Desigualdade racial e de gênero no Brasil: o trabalho em quadros superiores e de dirigentes. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 22, n. 1, p. 179-195, jan./jun. 2019. Disponível: https://www.revistas.ufg.br/fchf/article/view/57823/33154.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.5216/sec.v22i1.57823
Identificador do documento: 10.5216/sec.v22i1.57823
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18374
Data de publicação: Jun-2019
Aparece nas coleções:FCS - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Jordão Horta Nunes - 2019.pdf211,1 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons