Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18465
Tipo do documento: Artigo
Título: Anomalias fetais
Título(s) alternativo(s): Fetal anomalies
Autor: Silveira, Iulla Aguiar da
Falone, Valdivina Eterna
Amaral Filho, Waldemar Naves do
Marot, Ricardo Pereira
Ribeiro, Thaís Cristine Cardoso
Amaral, Waldemar Naves do
Resumo: Introdução: As malformações congênitas têm importância na mortalidade perinatal. A prevalência na população é de 2 a 3%, representando 20 a 30% das mortes perinatais. É importante o diagnóstico das malformações durante o pré-natal como forma de oferecer ao casal aconselhamento genético apropriado e, quando possível, planejar a terapêutica com as opções de interrupção judicial da gestação, terapias intrauterinas e assistência neonatal especializada ao recém-nascido malformado. Objetivo: Determinar o perfil clínico das gestantes portadoras de feto com anomalia congênita e estabelecer as topografias orgânicas mais comuns das anomalias. Pacientes e métodos: Estudo transversal, prospectivo, realizado no ambulatório de anomalias fetais do departamento de Ginecologia e Obstetrícia/HC/UFG. Feito ultrassonografia obstétrica especializada, no período de fevereiro de 2009 a dezembro de 2011. Foram levantados 192 casos de gestantes com diagnósticos ecográficos de anomalias fetais. Resultado: A idade materna média das gestantes foi de 24,59 anos. As anomalias do sistema nervoso central (SNC) foram as mais prevalentes, com 38,54%; seguidas do aparelho geniturinário, 23,44%; parede abdominal, 9,89%; aparelho locomotor, 9,89% e aparelho cardiovascular, 7,29%. A idade gestacional média na qual a anomalia foi encontrada foi de 28,67 semanas. Conclusão: 1- O perfil da grávida portadora de anomalia fetal é: idade materna de 24,59 anos, idade paterna 29,42, primigestas em 41,52%, com idade gestacional média de 28,67 semanas, procedentes de Goiânia de 56,1%. 2- A topografia orgânica mais comum de anomalias foi do SNC (38,54%), aparelho geniturinário (23,44%), parede abdominal (9,89%), aparelho locomotor (9,89%) e aparelho cardiovascular (7,29%).
Abstract: Introduction: The congenital malformations have importance in perinatal mortality. The prevalence in the population is 2 to 3 %, representing 20 to 30% of perinatal deaths. The diagnosis of malformations during the pre-natal care is important to offer the couple appropriate genetic counseling and, when possible, planning the therapy with the options of judicial interruption of pregnancy, intrauterine infection therapies and specialized neonatal care to malformed newborns. Objective: To determine the clinical profile of pregnant women carrying fetuses with congenital anomaly and to establish the most common organic topographies of anomalies. Patients and methods: Cross-sectional, prospective study of fetal anomalies at the clinic of fetal anomalies of the department of Gynecology and Obstetrics/HC/UFG. Specialized obstetric ultrasound was done in the period from February 2009 to December 2011. It was raised 192 cases of pregnant women with ultrasound diagnostic of fetal anomalies. Result: The average maternal age of the pregnant women was 24.59 years. The anomalies of the central nervous system (CNS) were the most prevalent, with 38.54 %; followed by the genitourinary system, 23.44 %; abdominal wall, 9.89 %; locomotor system, 9.89 % and cardiovascular apparatus, 7.29 %. The main gestational age at which the anomaly was found was 28.67weeks. Conclusion: 1- The profile of pregnant carrier of fetal anomaly is: maternal age of 24.59 years, paternal age 29.42, primigravidae at 41,52 %, with average gestational age of 28.67 weeks, coming from Goiânia 56.1 %. 2- The most common organic topography of anomalies was the SNC (38.54 %), genitourinary system (23.44 %), abdominal wall (9.89 %), locomotor apparatus (9.89 %) and cardiovascular (7.29 %).
Palavras-chave: Anomalias fetais
Malformações congênitas
Malformações renais
Malformações do sistema nervoso central
Malformações do sistema gênito-urinário
Malformações da parede abdominal
Fetal anomalies
Congenital malformations
Renal malformations
malformations of the central nervous system
Malformations
Genitourinary system malformations
Malformations of the abdominal wall
País: Brasil
Unidade acadêmica: Faculdade de Medicina - FM (RG)
Citação: SILVEIRA, Iulla Aguiar da et al. Anomalias fetais. Revista Goiana de Medicina, Goiânia, v. 47, n. 1, p. 6-10, abr. 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18465
Data de publicação: Abr-2015
Aparece nas coleções:FM - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Iulla Aguiar da Silveira - 2015.pdf152,53 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons