Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19944
Tipo do documento: TCC
Título: “Me gritaram negra”: sofrimento psíquico em estudantes quilombolas em uma universidade pública federal
Título(s) alternativo(s): “They screamed at me black”: psychic suffering in quilombola students at a federal public university
Autor: Sacramento, Amanda Glayce Lopes do
Primeiro orientador: Lemos, Gardenia de Souza Furtado
Primeiro membro da banca: Lemos, Gardenia de Souza Furtado
Vieira, Cecília Maria
Resumo: Este trabalho tem como objetivo perceber se as relações institucionais de uma universidade pública federal com estudantes quilombolas são produtoras de saúde ou adoecimento. Para isso, fizemos a análise de dados fornecidos pela coordenação responsável pela inclusão e permanência na universidade, por meio de um formulário inicial respondido por estudantes quilombolas e entrevista semiestruturada realizada com seis participantes. Os resultados obtidos indicam sofrimento psíquico em estudantes quilombolas com relação à universidade. Este sofrimento foi aqui compreendido a partir do referencial teórico da psicologia social crítica, utilizamos Ignácio Martín-Baró e Frantz Omar Fanon nas discussões acerca de saúde mental. Abordamos o conceito de sofrimento ético político e a dialética inclusão/exclusão, da autora Bader Burihan Sawaia, e pesquisas relacionadas a desempenho acadêmico e permanência de estudantes quilombolas. Para a análise de dados adotamos a análise de conteúdo de Laurence Bardin. Esta pesquisa foi realizada do segundo semestre de 2020 até maio de 2021, abrangendo assim, o período de Ensino Remoto Emergencial (ERE) adotado pela universidade devido ao contexto pandêmico decorrente do Covid-19. No que se refere aos cuidados éticos, este estudo foi revisado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da universidade.
Abstract: This study aims to examine if the institutional relations of a federal public university towards quilombola students produce health or illness. Therefore, we analyzed data provided by the coordination responsible for inclusion and permanency in the university, using an initial form that was answered by quilombola students and a half- structured interview with six participants. The results denote psychological suffering in quilombola students towards university. This suffering was studied based on theorical references of Critical Social Psychology, as Ignacio Martín-Baró and Frantz Omar Fanon and their discussions related to mental health. We have approached to the concept of ethical-political suffering and the inclusion/exclusion dialectics of Bader Burihan Sawaia, and research related to academic performance and permanency of quilombola students. To analyze this data, we adopted Laurence Bardin’s content analysis. This research was made in the second semester of 2020 until May of 2021, contending the emergency remote education (“Ensino Remoto Emergencial”, ERE) adopted by the university due the pandemic context of COVID-19. Regarding ethical measures, the study was revised and approved by the Ethic Committee of the university.
Palavras-chave: Exclusão
Inclusão
Quilombolas universitários
Sofrimento psíquico
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Faculdade de Educação - FE (RG)
Nome do curso: Psicologia (RG)
Citação: SACRAMENTO, Amanda Glayce Lopes do. “Me gritaram negra”: sofrimento psíquico em estudantes quilombolas em uma universidade pública federal. 2021. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19944
Data de publicação: 10-Jun-2021
Aparece nas coleções:FE - Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCCG - Psicologia - Amanda Glayce Lopes do Sacramento - 2021.pdf28,1 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons