Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/718
Tipo do documento: Dissertação
Título: Staphylococcus sp. em profissionais de áreas de apoio de uma instituição oncológica da região Centro-Oeste
Título(s) alternativo(s): Staphylococcus sp. in professionals in the areas of support of an oncology institution of the Midwest
Autor: VILEFORT, Larissa Oliveira Rocha
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/2039481120497639
Primeiro orientador: PALOS, Marinesia Aparecida do Prado
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/1151975582155991
Resumo: Nas instituições de saúde o ambiente de trabalho é considerado insalubre por agrupar em um só lugar usuários com ampla diversidade de agravos e micro-organismos, como os Staphylococcus sp. Ressalta-se que algumas espécies, como Staphylococcus aureus e estafilococos coagulase negativo (ECN) são conhecidas por sua virulência, patogenicidade e potencial de resistência antimicrobiana, podendo colonizar profissionais, como os das áreas de apoio (PAA) e usuários. Soma-se a isso a maior vulnerabilidade de usuários portadores de câncer diante da colonização por esses micro-organismos. Faz-se necessária a utilização de medidas de segurança, como as precauções padrão, visando à proteção de usuários e profissionais. Objetivou-se neste estudo identificar a prevalência de Staphylococcus sp. em PAA no serviço de oncologia, como rota de disseminação dessa importante bactéria, no âmbito institucional e comunitário. Trata-se de um estudo descritivo epidemiológico, desenvolvido com PAA de um Hospital Oncológico da região Centro-Oeste. Os dados foram obtidos por meio de um questionário e, em seguida, coletada uma amostra de saliva de cada participante, que foram processadas e identificadas conforme procedimento padrão. Verificou-se que 37,7% dos PAA estavam colonizados por Staphylococcus sp., totalizando 59 isolados, a maioria ECN. Constatou-se elevada prevalência (35,0%) de ECN resistentes à oxacilina, e a produção de fibrinolisinas e lecitinase pelos S. aureus. Destaca-se o desconhecimento da indicação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), uso do mesmo uniforme em diferentes instituições de saúde, o hábito de roer unhas e o uso de adornos como fatores de risco para a colonização desses profissionais. Acredita-se que a percepção dos PAA acerca do risco de colonização por micro-organismos como os Staphylococcus sp. é de suma importância para compreenderem a necessidade de adotarem atitudes seguras, visando à qualidade do cuidado e de vida no trabalho.
Abstract: In health care working environment is considered unhealthy by grouping users in one place with a wide variety of diseases and microorganisms such as Staphylococcus sp. It is noteworthy that some species such as Staphylococcus aureus and coagulase-negative staphylococci (CoNS) are known for their virulence, pathogenicity and potential for antimicrobial resistance, may colonize professionals such as areas for support (PAA) and patients. Added to this the greater vulnerability of patients with cancer before the colonization by these microorganisms. It is necessary to use security measures such as standard precautions in order to protect patients and professionals. The objective of this study was to identify the prevalence of Staphylococcus sp. in PAA in the oncology department, as an important route of dissemination of this bacterium at the institutional and community levels. This is a descriptive epidemiological study, developed with PAA of oncology hospital of the Midwest region. Data were collected through a questionnaire and then collected a saliva sample from each participant, which were processed and identified according to standard procedures. It was found that 37.7% of PAA were colonized by Staphylococcus sp., total of 59 isolates, most CoNS. It found a high prevalence (35.0%) of CoNS oxacillin-resistant, and the production of fibrinolysin and lecithinase by S. aureus. Noteworthy is the lack of indication of Personal Protective Equipment (PPE), use the same uniform in different health institutions, the habit of nail biting and the use of ornaments as predictors for occupational exposure to these professionals. It is believed that the perception of PAA about the risk of colonization by microorganisms such as Staphylococcus sp. is of paramount importance to understand the need to adopt safer attitudes at work, aiming at the quality of care and work life.
Palavras-chave: Staphylococcus
Riscos Ocupacionais
Saliva
Enfermagem
Staphylococcus
Occupational Risks
Saliva
Nursing
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Cuidado em Enfermagem
Programa: Mestrado em Enfermagem
Citação: VILEFORT, Larissa Oliveira Rocha. Staphylococcus sp. in professionals in the areas of support of an oncology institution of the Midwest. 2011. 111 f. Dissertação (Mestrado em Cuidado em Enfermagem) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/718
Data de defesa: 25-Mar-2011
Aparece nas coleções:Mestrado em Enfermagem (FEN)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao Larissa Oliveira Rocha Vilefort.pdf1,45 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.