Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8507
Tipo do documento: Dissertação
Título: Taxonomia do urbanismo tático: uma proposta para leitura, compreensão e articulação das táticas urbanas emergentes
Título(s) alternativo(s): Taxonomy of tactical urbanism: a proposal for reading, understanding and articulation of emerging urban tactics
Autor: Farias, Ana Carolina Carvalho
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/9424619870161675
Primeiro orientador: Britto, Pedro Dultra
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3392969122990264
Primeiro coorientador: Paio, Alexandra
Currículo Lattes do primeiro coorientador: https://orcid.org/0000-0002-4144-8499
Primeiro membro da banca: Oliveira, Adriana Mara Vaz de
Segundo membro da banca: Rena, Natacha Silva Araújo
Terceiro membro da banca: Britto, Pedro Dultra
Quarto membro da banca: Paio, Alexandra
Resumo: As cidades são formadas por um conjunto de práticas oficiais sustentadas por suas instituições normativas e, também, por práticas não oficiais, que escapam às normas e que trazem outras possibilidades, outras urgências. O termo Urbanismo Tático passou a ser utilizado na primeira década do Século XXI para designar tais práticas em urbanismo, referindo-se, geralmente, a intervenções urbanas temporárias, informais e de certa forma contestadoras às práticas oficiais e às cidades contemporâneas. Porém, as referências teóricas, artísticas e políticas dos praticantes do Urbanismo Tático remetem a um rol muito mais amplo e complexo de práticas que se colocam, frequentemente, como alternativa ao Urbanismo Neoliberal, atualmente hegemônico na produção das cidades. No entanto, há ainda um certo vazio teórico e metodológico no que diz respeito aos movimentos táticos da produção urbana, que dificultam compreender suas capacidades e analisar seus efeitos. Nesse sentido, esta pesquisa buscou construir um panorama conceitual sobre o Urbanismo Tático, exemplificado com diversos praticantes e práticas, ora autodenominadas como tal, ora indiferentes ao termo mas enquadráveis a ele. Para tanto, foi elaborada uma Taxonomia do Urbanismo Tático, que traz onze categorias de análise, esmiuçadas em oitenta e quatro subcategorias, com o objetivo de fornecer uma leitura para tais práticas e facilitar a articulação entre suas ideias, seus agentes e objetivos. Para a elaboração da Taxonomia foram cartografadas e catalogadas quarenta práticas, exemplificativas das várias narrativas que compõem o discurso das táticas urbanas, representativas do trabalho de grandes expoentes desse discurso e, também, das realidades urbanas dos cinco continentes. A Taxonomia encontra-se disponível em plataforma on line, que permite o tratamento de dados complexos e a alimentação colaborativa de dados. Neste estudo, são demonstradas várias formas de utilização da Taxonomia do Urbanismo Tático, dentre elas, a triangulação entre categorias específicas com o objetivo de verificar como o Urbanismo Tático contribui na luta pelo direito à cidade, na constituição de comuns urbanos e no enfrentamento ao Urbanismo Neoliberal. Tal articulação permitiu concluir que as práticas autodenominadas táticas, mais próximas daquilo que se popularizou com a etiqueta do Urbanismo Tático, apresentam arranjos geralmente frágeis como possibilidades alternativas à cidade neoliberal, enquanto as práticas que reúnem maiores condições de promoverem o direito à cidade e de experimentarem a constituição de comuns, são aquelas que levam a tática para além da tática, combinando-a em movimentos estratégicos, mais alinhados com as tradicionais lutas por justiça urbana. Tal conclusão revela a necessidade de o pensamento crítico melhor subsidiar tais ações, ajudando a contornar as ciladas e a potencializar as capacidades de colaboração, participação e empoderamento da multidão, que o Urbanismo Tático pode trazer como contribuições para a construção de cidades mais justas.
Abstract: Cities are formed by a set of official practices supported by their normative institutions, and also by unofficial practices, that escape the norms and that bring other possibilities, other urgencies. The term tactical urbanism began to be used in the first decade of the 21st century to designate such practices in urbanism, referring generally to temporary, informal and somewhat contentious urban interventions in official practices and contemporary cities. However, the theoretical, artistic and political references of the practitioners of Tactical Urbanism refer to a much broader and complex role of practices that are often presented as an alternative to the Neoliberal Urbanism, currently hegemonic in the production of cities. However, there is still a certain theoretical and methodological gap regarding the tactical movements of urban production, which make it difficult to understand their capabilities and analyze their effects. In this sense, this research tried to construct a conceptual panorama on the Tactical Urbanism, exemplified with several practitioners and practices, sometimes called as such, sometimes indifferent to the term but within it. For this, a Taxonomy of Tactical Urbanism was elaborated, which brings eleven categories of analysis, elaborated in eighty-four subcategories, with the purpose of providing a reading for such practices and facilitating the articulation between their ideas, agents and objectives. For the elaboration of the Taxonomy, forty practices were charted and cataloged, exemplifying the various narratives that compose the discourse of urban tactics, representative of the work of great exponents of this discourse and also of the urban realities of the five continents. The Taxonomy is available on online platform, which allows the processing of complex data and collaborative data feeding. In this study, we demonstrate several ways of using the Taxonomy of Tactical Urbanism, among them, the triangulation between specific categories with the objective of verifying how Tactical Urbanism contributes in the fight for the right to the city, in the constitution of urban commons and in the confrontation with Neoliberal Urbanism. This articulation allowed us to conclude that the tactical self-denominated practices, closer to what was popularized with the label of Tactical Urbanism, present generally fragile arrangements as alternative possibilities to the neoliberal city, while the practices that are better able to promote the right to the city and to experience the constitution of commons, are those that take the tactic beyond the tactic, combining it in strategic movements, more aligned with the traditional struggles for urban justice. Such a conclusion reveals the need for critical thinking to better subsidize such actions, helping to circumvent the pitfalls and enhance the capacities of collaboration, participation and empowerment of multitude, which Tactical Urbanism can bring as contributions to the construction of more just cities.
Palavras-chave: Urbanismo tático
Urbanismo neoliberal
Taxonomia
Direito à cidade
Ativismo urbano
Tactical urbanism
Neoliberal urbanism
Taxonomy
Right to the city
Urban activism
Área(s) do CNPq: FUNDAMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO::TEORIA DO URBANISMO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Artes Visuais - FAV (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Projeto e Cidade (FAV)
Citação: FARIAS, A. C. C. Taxonomia do urbanismo tático: uma proposta para leitura, compreensão e articulação das táticas urbanas emergentes. 2018. 274 f. Dissertação (Mestrado em Projeto e Cidade) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8507
Data de defesa: 11-Abr-2018
Aparece nas coleções:Mestrado em Projeto e Cidade (FAV)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ana Carolina Carvalho Farias - 2018.pdf28,85 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons