Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/107
Tipo do documento: Artigo publicado em periódico científico
Título: Emprego da fisioterapia em eqüinos com paralisia facial (relato de caso)
Título(s) alternativo(s): Utilization of the therapy physical in two horses with facial paralysis (case report)
Autor: Alves, Rosangela Oliveira
Silva, Luiz Antônio Franco da
Silva, Olízio Claudino
Peixoto, José Fernando Gondim
Abstract: A paralisia facial, uma afecção que acomete eqüinos, é comum na medicina veterinária e decorre principalmente de traumatismos diretos ou indiretos sobre o nervo facial, que passa sobre o músculo masseter, contando apenas com a pele e o tecido subcutâneo para sua proteção. As paralisias têm origem na compressão causada pela contenção da cabeça do animal em decúbito lateral. Este trabalho relata dois casos de paralisia facial. Um deles é de uma égua PSI de quatro anos de idade, atendida no Hospital Veterinário da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Goiás, com sinais clínicos dessa lesão. O outro é de um cavalo de carroça atendido no Jóquei Clube de Goiás (Hipódromo da Lagoinha), de aproximadamente 10 anos de idade, debilitado e com habronemose na face. Trata-se de animais que receberam tratamento fisioterapêutico, por meio de cinesioterapia e eletroestimulação, por sessenta dias, cujos resultados foram satisfatórios, verificando-se melhora do tônus muscular labial à esquerda, realinhamento da narina esquerda, discreta ptose no lábio inferior, normalização do ato de se alimentar e melhora da estética facial. A fisioterapia constituiu-se assim, num método terapêutico eficaz no tratamento de afecções do nervo facial, como compressão, contribuindo para o retorno da função muscular e bem-estar dos animais tratados. _______________________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT _______________________________________________________________________________________________________________________ Facial paralysis is an injury that assaults horses, not very unusual in veterinary. It occurs mainly because of direct or indirect traumas over the facial nerve, that goes over the masseter muscle, having only skin an tissue to protect it. Paralyses are common in cases of compression because of the contention of the animal head on the ground. This work reports the case of a PSI mare with four years, that was taken care of in the Veterinarian Hospital of the Veterinary School of the Federal University of Goiás, presenting signs of facial nerve injury; and a cart horse that was taken care at Racecourse of the Pond of Jockey Club of Goiás, with 10 years, debilitated and having facial habronemiasis. These animals received therapy physical, using cinesiotherapy and electrical stimulation, for 60 days, obtaining a satisfactory effect like improve of the left facial muscle, return to symmetrical the left nostril, discreet ptosis in the underling lip, normalization of the action to feed and improve of the facial esthetics. Concluding that therapy physical was a efficient method of treatment injuries in the facial nerve, like compression, helping in the return of the disturbs of muscle function and to the welfare of these animals.
Unidade acadêmica: Escola de Veterinária e Zootecnia - EVZ (RG)
Citação: ALVES, Rosangela Oliveira; SILVA, Luiz Antônio Franco da; SILVA, Olízio Claudino; PEIXOTO, José Fernando Gondim. Emprego da fisioterapia em eqüinos com paralisia facial (relato de caso). Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 9, n. 2, 2008. Disponível em: <http://www.revistas.ufg.br/index.php/vet/article/view/1131/3723>.
Tipo de acesso: Open Access
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/107
Data de publicação: 11-Mar-2008
Aparece nas coleções:EVZ - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
emp_fisiot_equin_paral_facial.pdf249,88 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.