Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12344
Tipo do documento: Artigo
Título: Estudo da eficiência do calcário calcítico, do carbonato de cálcio e do óxido de magnésio no controle do ph ruminal
Título(s) alternativo(s): Efficiency of the calcitic limestone, calcium carbonate and magnesium oxide to control ruminal ph
Autor: Oliveira, Euclides Reuter de
Dias, Darci silva de Oliveira
Ferreira, Reginaldo Nassar
Acypreste, Cléverson Santos
Vieira, Dirson
Dias, Miguel Joaquim
Resumo: O experimento foi desenvolvido no Departamento de Produção Animal da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Goiás, com o objetivo de estudar o comportamento do pH ruminal, da glicemia sérica e da uréia em ovinos que receberam calcário calcítico, carbonato de cálcio e óxido de magnésio na dieta. Foram utilizados dezesseis ovinos machos, da raça Santa Inês, confinados em gaiolas metabólicas individuais contendo bebedouro e cocho para o fornecimento de volumosos e concentrados. Os tratamentos constituíram-se de quatro rações concentradas isoprotéicas e isoenergéticas, contendo 16% de proteína bruta e 3.300 Kcal de energia digestível e níveis de 0% na dieta controle, 1% de calcário calcítico, 1% de carbonato de cálcio e 1% de óxido de magnésio. O delineamento empregado foi inteiramente casualizado em esquema de parcelas subdivididas, com os tratamentos nas parcelas e os períodos nas subparcelas. Utilizaram-se quatro repetições para avaliar os quatro tratamentos, sendo cada unidade experimental constituída por um animal. O período experimental foi de nove dias, sendo sete dias de pré-experimento e dois dias de coleta. As médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott. Os valores médios do pH do líquido ruminal obtidos para cada tratamento, zero hora após a ingestão de alimento, foram 7,65; 7,88, 7,32 e 7,66 (P>0,05), e para quatro horas após o consumo 6,42; 6,65; 7,56 e 6,56 (P<0,01) respectivamente. Os valores médios da uréia para zero hora foram 24,83; 26,86, 21,96 e 28,53 mg/100 mL (P<0,01) e para quatro horas foram 27,20; 28,99, 23,65 e 48,07 mg/100 mL (P<0,01) respectivamente. Os valores médios da glicose sérica para zero hora foram 67,07; 65,08, 60,51 e 62,22 mg/100 mL (P<0,05) e para quatro horas foram 74,49; 65,85, 70,70 e 66,51 mg/100 mL (P<0,05) respectivamente. Conclui-se que o carbonato de cálcio foi mais eficaz no controle do pH ruminal após quatro horas da ingestão de alimento.
Abstract: The experiment was carried out in the Animal Production Department of the Veterinary School (Goiás Federal University), in order to study the behavior of ruminal pH, blood levels of glucose and urea. Sixteen male Santa Inês sheep were distribuled individually in metabolic crates, equiped with waterer and feeder, for forage and concentrate. The treatments were four isoproteic and isoenergetic concentrates containing 16% of crude protein, and 3,300 Kcal of digestible energy with levels of 0% in control diet, 1% calcitic limestone, 1% calcium carbonate and 1% of magnesium oxide. The experiment was designed in a completely randomized split-splot model in a period of nine days, seven days for adaptation and two for collection, with four treatments and four replicates of one animal each constitution. The averages of the treatments were compared by the Scott-Knott´s test. The pH of the ruminal fluid at zero hour after a concentrate intake, for treatments were 7.65; 7.88; 7.32 and 7.66 and for four hours 6.42; 6.65; 7.56 and 6.56 respectively. The average levels of urea for zero hour were 24.83; 26.86; 21.96 and 28.53 mg/100 mL and for four hours were 27.20; 28.99; 23.65 and 48.07 mg/100 mL, respectively for all treatments. The average values of blood glucose for zero hour were 67.07, 65.08; 60.51 and 62.22 mg/ 100 mL and for four hours were 74.49; 65.85; 70.70 and 66.51 mg/100 mL, respectively. The calcium carbonate was the most efficient for the ruminal pH control, four hours after a concentrate intake.
Palavras-chave: Concentrados
Dietas
Produção de saliva
Proteína bruta
Tamponante
Concentrates
Crude protein
Diet
Saliva output
País: Brasil
Instituição: José Henrique Stringhini
Sigla da instituição: UFG
Unidade acadêmica: Escola de Veterinária e Zootecnia - EVZ (RG)
Citação: OLIVEIRA, Euclides Reuter de; DIAS, Darci silva de Oliveira; FERREIRA, Reginaldo Nassar; ACYPRESTE, Cléverson Santos; VIEIRA, Dirson; DIAS, Miguel Joaquim. Estudo da eficiência do calcário calcítico, do carbonato de cálcio e do óxido de magnésio no controle do ph ruminal. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 4, n. 1, p. 25-32, jan./jun. 2003. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/299/267>.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12344
Data de publicação: Jun-2003
Aparece nas coleções:EVZ - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Euclides Reuter de Oliveira - 2003.pdf34,14 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons