Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12832
Tipo do documento: Artigo
Título: Níveis de proteína e de arginina digestível na ração pré-inicial de frangos de corte
Título(s) alternativo(s): Protein and digestible arginine levels in pre-starter broiler rations
Autor: Thon, Mônica Schaitl
Stringhini, José Henrique
Jardim Filho, Roberto de Morais
Andrade, Maria Auxiliadora
Café, Marcos Barcellos
Leandro, Nadja Susana Mogyca
Resumo: O experimento foi conduzido para avaliar níveis de proteína bruta e arginina digestível na ração pré-inicial de frangos de corte e seus efeitos no desempenho das aves dos 7 aos 21 dias de idade. Foram utilizados 600 pintos da linhagem Cobb 500, distribuídos em delineamento de blocos casualizados em esquema fatorial 4 × 2, composto de quatro níveis de arginina digestível (1,363; 1,463; 1,563 e 1,663%) e dois níveis de proteína bruta (20 e 22%), totalizando oito tratamentos, cada um com cinco repetições de 15 aves. Avaliaram-se o ganho de peso, o consumo de ração, o índice de conversão alimentar, a biometria dos órgãos do trato gastrintestinal e a digestibilidade e retenção de matéria seca e nitrogênio. O maior ganho de peso na fase de 1 a 14 dias de idade foi obtido com a ração com 22% de proteína bruta. Os níveis de arginina digestível tiveram efeito quadrático na conversão alimentar na fase de 1 a 10 dias de idade. O peso do esôfago e inglúvio foi maior nas aves alimentadas com a ração com 20% de proteína bruta, no entanto, houve efeito quadrático dos níveis de arginina digestível sobre o comprimento do intestino aos 10 dias de idade e sobre o peso do esôfago + inglúvio aos 3 dias de idade. Houve interação entre os níveis de proteína bruta e arginina digestível para o peso relativo do fígado aos 14 dias, que respondeu de forma quadrática ao nível de 20% de proteína bruta, e para o comprimento de intestino, cujo maior valor foi obtido com os níveis de 22% de proteína bruta e 1,603% de arginina digestível. O balanço e a retenção de nitrogênio foram maiores no nível de 22% de proteína bruta. O nível de 1,363% de arginina digestível atende às exigências nutricionais dos frangos de corte na fase pré-inicial.
Abstract: This experiment was carried out to evaluate levels of crude protein and digestible arginine in pre-starter broiler ration and their effects on the performance of the broilers from 7 to 21 days of age. A total of 600 Cobb chicks was assigned to a block randomized design in a 4 × 2 factorial arrangement consisting of 4 levels of digestible arginine (1.363; 1.463; 1.563 and 1.663%) and two levels of crude protein (20 and 22%) with eight treatments, each one with five replicates of 15 broilers each. For the experiment, weight gain, feed intake, feed conversion ratio, gastrointestinal biometry, digestibility and retention of dry matter and nitrogen were evaluated. The highest weight gain from 1 to 14 days old was obtained with the 22% crude protein feed. The levels of digestible arginine had a quadratic effect in feed conversion from 1 to 10 days old. The esophagus and crop weights were higher for broilers fed 20% crude protein based diet; however, there was a quadratic effect of the digestible arginine levels on the intestine length at the age of 10 days and on the esophagus + crop weight at 3 days of age. At 14 days of age, there was interaction among crude protein and digestible arginine levels for liver relative weight, which showed quadratic response to 20% of crude protein, and for intestine length, whose highest value was obtained with 22% of crude protein and 1.603% of digestible arginine. Nitrogen balance and retention were the highest for levels of 22% of crude protein. The level of 1.363% of digestible arginine meets nutritional requirements of pre-starter broilers.
Palavras-chave: Aminoácidos
Conversão alimentar
Desempenho
Dimensões de órgãos
Digestible amino acids
Digestibility
Intestine height
Organs biometry
Performance
Digestibilidade
País: Brasil
Unidade acadêmica: Escola de Veterinária e Zootecnia - EVZ (RG)
Citação: THON, Mônica Schaitl; STRINGHINI, José Henrique; JARDIM FILHO, Roberto de Morais; ANDRADE, Maria Auxiliadora; CAFÉ, Marcos Barcellos; LEANDRO, Nadja Susana Mogyca. Níveis de proteína e de arginina digestível na ração pré-inicial de frangos de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 39, n. 5, p. 1105-1111, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.1590/S1516-35982010000500022
Identificador do documento: 10.1590/S1516-35982010000500022
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12832
Data de publicação: 2010
Aparece nas coleções:EVZ - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Mônica Schaitl Thon - 2010.pdf46,97 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons