Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16479
Tipo do documento: Artigo
Título: Genotoxicity investigation of araticum (Annona crassiflora Mart., Annonaceae) using SOS-Indutest and Ames test.
Título(s) alternativo(s): Investigação sobre a genotoxicidade de araticum (Annona crassiflora Mart. Annonaceae) usando SOS-Induteste e Teste de Ames
Autor: Vilar, Juliana Brandstetter
Ferri, Pedro Henrique
Lee, Chen Chen
Resumo: Embora o uso de plantas medicinais ou de produtos naturais venha aumentando nas últimas décadas no mundo todo, existem poucas informações acerca de seu risco potencial para a saúde. Annona crassiflora Mart., uma planta comumente conhecida como araticum no Brasil, tem tido amplo uso em medicina popular há muito tempo, uma vez que suas sementes e folhas são frequentemente empregadas no tratamento de câncer, picadas de cobras e doenças venéreas, seus frutos são consumidos como tônico e adstringente, e o pó da casca de seu tronco apresenta propriedades antifúngicas e antirreumáticas. Para avaliar as propriedades genotóxica e mutagênica induzidas pelo extrato etanólico das folhas de araticum, utilizaram-se os testes de indução do profago λ (Induteste) e de mutagenicidade bacteriana. Foram empregadas as linhagens WP2s(λ) e RJF013 de Escherichia coli no teste de indução lisogênica, enquanto os estudos sobre mutagenicidade foram conduzidos utilizando as linhagens auxotróficas para histidina TA97a, TA98, TA100 e TA102 de Salmonella typhimurium. Cada experimento foi executado três vezes em duplicata, incluindo controles positivo e negativo. Não foram obtidos resultados positivos estatisticamente significativos (p > 0,05) para quaisquer das linhagens testadas, o que sugere que o extrato etanólico das folhas de araticum não apresentou mecanismos diretos de genotoxicidade ou mutagenicidade que pudessem ser detectados pelos testes usados no presente estudo.
Abstract: Although the use of medicinal plants or natural products has increased in recent decades all over the world, little information is available on their potential risk to health. Annona crassiflora Mart., a plant commonly known as araticum in Brazil, has been widely used in folk medicine for a long time since its seeds and leaves are often utilised in the treatment of cancer, snake bites, and venereal diseases, its fruits are consumed as tonic and astringent, and its bark powder has anti-fungal and anti-rheumatic properties. To evaluate the genotoxic and mutagenic properties induced by the ethanolic extract of araticum leaves, we performed the prophage λ induction (Inductest) and bacterial mutagenicity assays. We used Escherichia coli WP2s(λ) and RJF013 strains in the lysogenic induction test, whereas the mutagenic studies were carried out using Salmonella typhimurium histidine auxotroph strains TA97a, TA98, TA100, and TA102. Each experiment was performed three times in duplicate and included positive and negative controls. No statistically significant (p > 0.05) positive results were obtained for any of the strains tested, which suggests that the ethanolic extract of araticum leaves did not exhibit direct mechanisms of genotoxicity or mutagenicity that could be detected by the tests used in the present work.
Palavras-chave: Annona crassiflora
Araticum
Genotoxicidade
Mutagenicidade
Induteste
Teste de Ames
Annona crassiflora
Araticum
Genotoxicity
Mutagenicity
Inductest
Ames test
País: Brasil
Unidade acadêmica: Instituto de Química - IQ (RG)
Citação: VILAR, J. B.; FERRI, P. H.; CHEN-CHEN, L. Genotoxicity investigation of araticum (Annona crassiflora Mart., Annonaceae) using SOS-Indutest and Ames test. Brazilian Journal of Biology, São Carlos, v. 71, n. 1, p. 197-202, Feb. 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.1590/S1519-69842011000100028
Identificador do documento: 10.1590/S1519-69842011000100028
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16479
Data de publicação: Fev-2011
Aparece nas coleções:IQ - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Juliana Brandstetter Vilar - 2011.pdf4,25 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons