Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6888
Tipo do documento: Tese
Título: O discurso da desistência do professor: estratégia de resistência e governo de si mesmo
Título(s) alternativo(s): The abandonment discours of the teacher: strategy of resistance and self-government
Autor: Paraguassú, Alita Carvalho Miranda
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/0298722080068178
Primeiro orientador: Souza, Agostinho Potenciano de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/2081738892561567
Primeiro membro da banca: Souza, Agostinho Potenciano de
Segundo membro da banca: Fernandes, Eliane Marquez da Fonseca
Terceiro membro da banca: Couto, Elza Kioko Nakayama Nenoki do
Quarto membro da banca: Morais, Mara Rúbia de Souza Rodrigues
Quinto membro da banca: Queiroz, Vanderleida Rosa de Freitas
Resumo: Esta tese, intitulada, O discurso da desistência do professor: estratégia de resistência e governo de si mesmo tem como objetivo compreender a elaboração discursiva do sujeitoprofessor que, por ser acometido pelas doenças do trabalho, opta por desistir da profissão. O dizer a desistência participa da constituição identitária do professor. Estudamos a desistência por meio das manifestações discursivas que materializam o desejo ou a necessidade de deixar a esfera educacional em defesa do próprio corpo do docente. Essas manifestações discursivas são compreendidas, de fato, como estratégias de problematização e recriação das práticas escolares e do espaço escolar. No reconhecimento de si mesmo através do discurso, os professores realizam práticas de governo de si, sendo possível a luta contra certas formas de subjetivação. Nosso trabalho é pautado pela Análise de Discurso com viés Foucaultiano.Assim, são retomados no trabalho os conceitos foucaultianos que permitiram a leitura da realidade participante do discurso da desistência. São feitas também reflexões sobre o fazer pesquisa na escola, tanto em relação aos instrumentos utilizados, às diferenças entre pesquisas qualitativas e quantitativas e à relação entre a academia e a escola, ou o pesquisador e o sujeito pesquisado. Para a coleta de dados foram utilizados um questionário, respondido por 91 professores, notas de campo elaboradas na observação de 10 escolas e entrevistas realizadas com 3 professoras, nomeadas por nós como confissões; sendo que as entrevistas são consideradas neste trabalho os dados de maior relevância em termos de aprofundamento da relação entre o sujeito e seu discurso, entre o discurso e as práticas sociais. A partir das leituras em Foucault (1990, 1993, 2007b, 2010c, 2011), a confissão é compreendida como uma prática de subjetivação em que o confitente autentica em si mesmo a verdade sobre si, sobre suas emoções e seus pensamentos. Se na Idade Média a confissão era materializada pela via do interrogatório de modo imperativo, na modernidade a confissão assume um caráter reflexivo e paradoxal, posto que libera o sujeito para correlacionar-se com a sua verdade, ao passo em que o aprisiona a uma identidade. Longe de ser apenas o lugar do segredo, a confissão é uma forma de controle social das subjetividades, pois a confissão propicia uma qualificação e normalização dos pensamentos e dos desejos. O confessar é um ato de conduzir-se na tentativa de estabelecer uma veridicção de si mesmo. Ao confessar o desejo de desistência os professores caminham verbalmente ao encontro de seu próprio serprofessor, refletindo sobre suas práticas pedagógicas e a conjuntura que envolve o ambiente escolar, desde a formação nos cursos de licenciatura à naturalidade do xingamento em sala de aula. O discurso da desistência acaba por funcionar como uma maneira de encontrar-se consigo mesmo na passagem entre o passado, o presente e o futuro.
Abstract: This thesis, titled, The abandonment discours of the teacher: strategy of resistance and selfgovernment aims to understand the discursive elaboration of the subject-teacher who, because of being affected by the diseases of work, chooses to give up the profession. The saying of abandonment participates in the teacher's identity constitution. We study abandonment through the discursive manifestations that materialize the desire or the need to leave the educational sphere in defense of the teacher's own body. These discursive manifestations are understood, in fact, as strategies of problematization and recreation of school practices and school space. In the recognition of oneself through the discourse, the teachers carry out practices of self-government, being possible the fight against certain forms of subjectivation. Our work is based on Discourse Analysis with Foucaultian bias. Thus, are resumed at work the foucaultian concepts that allow the reading of the participant reality of the discourse of abandonemnt. There are also reflections about doing research in school, both in relation to the instruments used, the differences between qualitative and quantitative research and the relationship between the academy and the school, or the researcher and the subject researched. For the data collect were used a questionnaire, answered by 91 teachers, field notes elaborated in the observation of 10 schools and interviews with 3 teachers, named by us as confessions; being that the interviews are considered in this work the most relevant data in terms of deepening the relationship between the subject and his discourse, between discourse and social practices. From the readings in Foucault (1990, 1993, 2007b, 2010c, 2011), confession is understood as a practice of subjectivation in which the confessor authenticates in himself the truth about himself, his emotions and his thoughts. If in the Middle Ages confession was materialized by the way of interrogation in an imperative way, in modernity the confession takes on a reflexive and paradoxical character, since it frees the subject to correlate with its truth, while imprisoning it to an identity . Far from being just the place of secret, confession is a form of social control of subjectivities, because confession provides a qualification and normalization of thoughts and desires. To confess is an act of conducting oneself in the attempt to establish a veridiction of oneself. When confessing the desire to give up, teachers walk verbally to meet their own being-teacher, reflecting on their pedagogical practices and the conjuncture surrounding the school environment, from training in undergraduate courses to the naturalness of cursing into classroom. The discourse of giving up works as a way of finding oneself in the passage between the past, the present and the future.
Palavras-chave: Desistência
Confissão
Sujeito-professor
Resistência
Abandonment
Confession
Subject-teacher
Resistance
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: PARAGUASSÚ, A. C. M. O discurso da desistência do professor: estratégia de resistência e governo de si mesmo. 2017. 265 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6888
Data de defesa: 30-Jan-2017
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Alita Carvalho Miranda Paraguassú - 2017.pdf3,07 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons