Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7648
Tipo do documento: Tese
Título: Pessoas idosas vivendo com HIV em Goiás: um estudo de gênero, sexualidade e subjetividades
Título(s) alternativo(s): Elderly people living with HIV in Goiás: a study of gender, sexuality and subjectivities
Autor: Andrade, Márcia Andréa Rodrigues
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5936890152327657
Primeiro orientador: Gonçalves, Eliane
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/7413052054334814
Primeiro membro da banca: Henning, Carlos Eduardo
Segundo membro da banca: Souza, Marta Rovery de
Terceiro membro da banca: Maksud, Ívia Maria Jardim
Quarto membro da banca: Amaral, Marcela Carvalho Martins
Resumo: Esta tese versa sobre Envelhecimento, HIV e Gênero no contexto da subjetividade. Em um primeiro momento, se examina a importância do envelhecimento para os estudos sociológicos, assim como a construção das categorias de idoso e de pessoas vivendo com HIV. Em seguida, se analisa a subjetividade dos idosos. Para isso, foram realizadas uma pesquisa sociológica qualitativa e uma revisão bibliográfica de autores que tratam do assunto. Foi possível apontar os limites da construção discursiva do processo de erotização da velhice, em uma crítica ao discurso gerontológico da sexualidade multissensorial, assim como ao discurso da feminização do HIV. Para se aprofundar no debate acerca da subjetividade dos idosos que vivem com HIV, se trabalha com a ideia de Ruptura Biográfica, que propõe um reordenamento da vida cotidiana. Ao compreender a subjetividade por meio das rupturas biográficas, foi possível dialogar com a lógica das experiências afetivas, conjugais e familiares, o modo de encarar o HIV, os estigmas, os segredos, a corporeidade e a sexualidade, trazendo para o debate as relações desiguais de gênero. A análise empírica dessas questões se fundamenta na observação de campo e em entrevistas, realizadas entre os meses de outubro de 2014 e junho de 2015, com quinze idosos (as) acima de 60 anos que fazem tratamento regular no Hospital de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad, em Goiânia. A tese conclui que a velhice e o modo de encarar o HIV são heterogêneos. As relações desiguais de gênero exercem papel fundamental na subjetividade, pois produzem reações diferentes ao risco, à conjugalidade e ao modo como os idosos encaram o HIV, o que proporciona uma reflexão sobre a produção das diferenças. A experiência de viver com o HIV propiciou aos interlocutores um aprendizado constante para o reconhecimento e o reordenamento das rupturas da vida. O entendimento da tese é que os dilemas dos idosos que vivem com HIV não são individuais, e sim, uma responsabilidade de toda a sociedade
Abstract: This thesis is about aging, HIV and gender in the context of subjectivity. In a first moment, it looks to the importance of aging for the sociological studies, as well to the formation of the categories of elderly people and people living with HIV. Then, it analyses the subjectivity of elderly people. For doing that, a qualitative sociological research and a bibliographical review of authors who explore the topic were realized. It was possible to point out the limits of the discursive construction of the erotization process of the old age, in a critique of the gerontological discourse of multisensorial sexuality as well of the discourse of HIV feminization. To go deep in the debate, the thesis explores the idea of biographical rupture, which proposes a reordering of the everyday life. By understanding subjectivity through biographical ruptures, it was possible to dialogue with the logic of affective, marital and family experiences, the way of facing HIV, stigmas, secrets, corporeity and sexuality, bringing the unequal gender relations to the debate. The empirical analysis of these questions relies on field work and interviews, done between October 2014 and June 2015 with 15 elderly people over 60 years of age who receive regular treatment at the Hospital of Tropical Diseases Dr. Anuar Auad, in Goiânia, Brazil. The thesis concludes that old age and the way of facing HIV are heterogeneous. The unequal gender relations exercise a fundamental role in the subjectivity, since they produce different reactions to risk, marital life and the way how elderly people face HIV, which leads to a reflection about the production of differences. The living experience with HIV has given to the interviewees a constant learning for the recognition and reordering of the life ruptures. The understanding of the thesis is that the dilemmas of elderly people living with HIV are not individuals, but a responsibility of all the society.
Palavras-chave: Idosos
HIV
Gênero
Experiência
Ruptura biográfica
Elderly people
HIV
Gender
Experience
Biographical rupture
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Sociologia (FCS)
Citação: ANDRADE, M. A. R. Pessoas idosas vivendo com HIV em Goiás: um estudo de gênero, sexualidade e subjetividades. 2017. 210 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7648
Data de defesa: 25-Abr-2017
Aparece nas coleções:Doutorado em Sociologia (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Márcia Andréa Rodrigues Andrade - 2017.pdf2,8 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons