Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12660
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorDias, Miguel Joaquim-
dc.creatorFerreira, Reginaldo Nassar-
dc.creatorOliveira Filho, Benedito Dias de-
dc.creatorOrsine, Geysa Fleuri-
dc.date.accessioned2017-10-26T10:56:17Z-
dc.date.available2017-10-26T10:56:17Z-
dc.date.issued1995-06-
dc.identifier.citationDIAS, Miguel Joaquim; FERREIRA, Reginaldo Nassar; OLIVEIRA FILHO, Benedito Dias de; ORSINE, Geysa Fleuri. Sazonalidade da produção espermática de reprodutores caprinos. Anais da Escola de Agronomia e Veterinária, Goiânia, v. 25, n. 1, p. 53-62, jan./jun. 1995. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/2735/2747>.pt_BR
dc.identifier.issn0100-218X-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12660-
dc.description.abstractToe trial was conduced at the Goiás Federal University (Goiás, Brazil) from January to December 1989. Four 12 to 18 month-old animais of gray race were kept in fenced area with Brachiaria decumbens pasture. Nutrition was supplemented by protein and energetic concentrate in order to supply nutrition requirement according to NRC. Seasons were detennined by variations on minimal temperature, pluvial precipitation and ralative humidity. The four seasons were: A (January, February and March), B (April, May and June), C (July, August and September) and D (October, November and December). Semen was collected by eletroejaculation and evaluated for volume, motility, concentration and morphology. Volume values for the four seasons were 0.91, 1.04, 1.07 and 0.96 mi respectively, with no significant difference between seasons (P=0.05). Spermatic concentration showed for seasons A, B, C and D the following values, respectively: 1201.5, 1018.2, 1161.2 and 1015.5 million/ml, with no significant difference. Motility was 80.25, 63.5, 76.6 and 73.75% for seasons A, B, C and D, being the average percentage 0.5, 0.5, 0.12 and 1.23, respectively. Results showed that the season with higher relative humidity was more hannful to ovine spermatogenesis and under suitable nutrition, seasonal change does not interfere on ovine fertility.pt_BR
dc.description.sponsorshipUFGpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherAntônio Henrique Garciapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCaprinopt_BR
dc.subjectProdução espermáticapt_BR
dc.subjectReproduçãopt_BR
dc.subjectGoatpt_BR
dc.subjectSpermatic productionpt_BR
dc.subjectReproductionpt_BR
dc.titleSazonalidade da produção espermática de reprodutores caprinospt_BR
dc.title.alternativeEffect of seasonal change on goat spermatic productionpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoO trabalho foi conduzido no Setor de Caprinos da Universidade Federal de Goiás de janeiro a dezembro de 1989. Foram utilizados quatro animais da raça parda, com idade variando de 12 a 18 meses. Os animais permaneceram em piquetes de capim Brachiaria decumbens e foram suplementados com concentrado protéico e energético de forma a suprir as exigências nutricionais dos mesmos, segundo o NRC. As estações climáticas foram determinadas utilizando como parâmetros as variações de temperatura mínima, precipitação pluvial e umidade relativa. As estações ficaram assim divididas: A (janeiro, fevereiro e março), B (abril, maio e junho), C (julho, agosto e setembro) e D (outubro, novembro e dezembro). O sêmen foi coletado pelo método da eletroejaculação e analísado quanto ao volume, motilidade, concentração e morfologia. Os valores de volume nas quatro estações definidas foram: 0,91; 1,04; 1,07 e 0,96 mi, respectivamente, sendo as diferenças estatisticamente não significativas entre si (P<0,05). A concentração espermática apresentou para as estações A, B, C e D os seguintes valores respectivamente: 1201,5; 1018,2; 1161,2 e 1015,5 milhões por mi, não sendo diferentes entre si (P<0,05). A motilidade foi de 80,25; 63,5; 76,0 e 73,75% para as estações A, B, C e D, respectivamente, não apresentando diferenças entre si (P<0,05). A patologia em coloração giensa apresentou os valores de 0,5; 0,38; 0,12 e 0,64%, respectivamente para as estações A, B, C e D, não sendo estatisticamente diferentes (P<0,05). A patologia em contraste de fase apresentou diferenças significativas (P<0,05), com a porcentagem média para as estações A, B, C e D, sendo de 0,5; 0,5; 0,12 e 1,23, respectivamente. Conclui-se que a estação de maior umidade relativa do ar foi mais prejudicial a espennatogênese dos caprinos, sendo que nas condições de nutrição adequadas, a sazonalidade não interfere na fertilidade dos caprinos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Agronomia e Engenharia de Alimentos - EAEA (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:EA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Miguel Joaquim Dias - 1995.pdf250,13 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons