Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13056
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorPaula, Reinaldo Soares de-
dc.creatorOliveira, Wilson Ferreira de-
dc.date.accessioned2017-11-30T10:49:56Z-
dc.date.available2017-11-30T10:49:56Z-
dc.date.issued2003-12-
dc.identifier.citationPAULA, Reinaldo Soares de; OLIVEIRA. Resistência de tomateiro (Lycopersicon esculentum) ao patógeno Alternaria solani. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 33, n. 2, p. 89-95, jul./dez. 2003. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/2353/2337>.pt_BR
dc.identifier.issn1517-6398-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13056-
dc.description.abstractThe main objective of this study was to test levels of resistance of commercial varieties, genotypes belonging to the germoplasm bank of CNPH-Embrapa and hibrids F1 of tomat to Alternaia solani, in field condition. The trials were conduced at the experimental fields of the Federal University of Goiás, Goiânia-GO, Brasil. It is located at an altitude of 730 m, latitude of 16° 41'S and longitude of 49° 17'W. The evaluations were accomplished at the 36, 43, 50, 57, 64, 71, 78 and 85 days after the seedlings planting, combining diagramatic scale and grades. Among indeterminate cultivars Ohio 4013 and CNPH 738 were the most resistants. Among determined ones the most resistant were F1 hibrid Hawaii 7998 x Monense and Rotam 4. The genotypes Ohio 4013 and the F1 Hawaii 7998 x Monense hibrid were the ones that more stood out for resistance to these pathogen and could be suitable for future breeding programs.pt_BR
dc.description.sponsorshipUFGpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherJoão Batista Duartept_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectTomateiropt_BR
dc.subjectResistênciapt_BR
dc.subjectAlternaria solanipt_BR
dc.subjectTomatopt_BR
dc.subjectResistancept_BR
dc.titleResistência de tomateiro (Lycopersicon esculentum) ao patógeno Alternaria solanipt_BR
dc.title.alternativeResistance of tomato (Lycopersicon esculentum) to Alternaria solani pathogenpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoO objetivo deste trabalho foi avaliar níveis de resistência de variedades comerciais de tomateiro ao patógeno Alternaria solani. Os genótipos são pertencentes ao banco de germoplasma do CNPH-Embrapa, compreendendo híbridos F1, que foram ava-liados em condições de campo. Os ensaios foram conduzidos nos campos experimentais da Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia-GO, a uma altitude de 730 m, latitude de 16° 41'S e longitude de 49°17'W. As avaliações foram realizadas aos 36, 43, 50, 57, 64, 71, 78 e 85 dias após o transplantio, combinando-se escala diagramática e de notas. As variedades Ohio 4013 e CNPH 738 foram as mais resistentes entre os materiais tutorados. Entre os materiais rasteiros os mais resistentes foram o híbrido F1 Hawaii 7998 x Monense e Rotam 4. O genótipo Ohio 4013 e híbrido F1 Hawaii 7998 x Monense foram os que mais se destacaram para resistência a este patógeno, podendo ser indicados para futuros programas de melhoramento.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Agronomia e Engenharia de Alimentos - EAEA (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:EA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Reinaldo Soares de Paula - 2003.pdf143,46 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons