Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13313
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorReis Filho, José de Souza-
dc.creatorMarin, Joel Orlando Bevilaqua-
dc.creatorFernandes, Paulo Marçal-
dc.date.accessioned2017-12-28T11:47:23Z-
dc.date.available2017-12-28T11:47:23Z-
dc.date.issued2009-12-
dc.identifier.citationREIS FILHO, José de Souza; MARIN, Joel Orlando Bevilaqua; FERNANDES, Paulo Marçal. Os agrotóxicos na produção de tomate de mesa na região de Goianápolis, Goiás. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 4, p. 307-316, out./dez. 2009. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/4947/5876>.pt_BR
dc.identifier.issn1983-4063-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/13313-
dc.description.abstractThis research tried to identify the causes for the intensive use of pesticides and potential solutions for a more sustainable tomato cropping. Qualitative survey techniques (semi-structured interviews and observations), derived from sociological surveys, were employed for evaluating the use of pesticides on tomato cropping, in the Goianápolis municipality, Goiás State, Brazil. The results showed that the main causes for the intensive use of pesticides are the farmer fear of losing crops, since the investment is very high, and the fact that the use of pesticides represents an insurance against losses. Lack of alternatives for pests and diseases control, farmers reluctance in looking for alternative methods and insufficient technical assistance, absence of association and cooperation among tomato growers, and uncontested acceptance of the current production model are other causes for this substantial use of pesticides. A program of integrated pests management, dealing with the production system as a whole, can be the main tool for changing growers’ concepts and attitudes, regarding the current technology. In a short term, grower associations are essential for solving short term problems.pt_BR
dc.description.sponsorshipUFGpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherJoão Gaspar Fariaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectPragas do tomateiropt_BR
dc.subjectManejo integrado de pragaspt_BR
dc.subjectUso intensivo de agrotóxicospt_BR
dc.titleOs agrotóxicos na produção de tomate de mesa na região de Goianápolis, Goiáspt_BR
dc.title.alternativeUse of pesticides on tomato in the state of Goiás, Brazilpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoEste trabalho procurou identificar as causas do uso intensivo de agrotóxicos na cultura do tomateiro e possíveis soluções para uma tomaticultura mais sustentável. Técnicas de pesquisa qualitativa (entrevistas semiestruturadas e observação), derivadas da pesquisa sociológica, foram utilizadas para avaliar o uso de agrotóxicos, na região de Goianápolis, Estado de Goiás. Os resultados mostraram que as principais causas do uso intensivo de agrotóxicos são o medo que os agricultores têm de perder suas lavouras, uma vez que o investimento é muito alto, e o fato de que os agrotóxicos representam um seguro contra prejuízos. Acrescenta-se, a esses fatores, a falta de opções de controle de pragas e doenças, resistência dos agricultores em buscar alternativas, carência de assistência técnica, falta de união e cooperação entre os produtores e aceitação inconteste do atual modelo de produção. Um programa de manejo integrado de pragas, com desdobramento para manejo do sistema como um todo, pode ser a âncora para mudanças de atitudes na concepção tecnológica dos produtores. É necessário que seja suscitada a união dos produtores, em busca de soluções a curto prazo.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Agronomia e Engenharia de Alimentos - EAEA (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:EA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - José de Souza Reis Filho - 2009.pdf240,88 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons