Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14412
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisor1Braga, Pedro Paulo Pereira-
dc.creatorSilva, Gabriel Assis-
dc.date.accessioned2018-04-10T11:51:17Z-
dc.date.available2018-04-10T11:51:17Z-
dc.date.issued2017-12-
dc.identifier.citationSILVA, Gabriel Assis. Analise da qualidade de vida de adultos e idosos praticantes de treinamento resistido em Inhumas - GO. 2017. 29 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Faculdade de Educação Física e Dança, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14412-
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectQualidade de vidapt_BR
dc.subjectIdosospt_BR
dc.subjectTreinamento resistidopt_BR
dc.subjectMusculaçãopt_BR
dc.titleAnalise da qualidade de vida de adultos e idosos praticantes de treinamento resistido em Inhumas - GOpt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.description.resumoO objetivo desta pesquisa foi analisar a influência da prática do treinamento resistido sobre a percepção da qualidade de vida em adultos e idosos da cidade de Inhumas-GO. Foram entrevistadas 20 pessoas, igualmente distribuídas entre os sexos, com idade média de 60 ± 10. Os participantes estavam dispostos em dois grupos, os praticantes de treinamento resistido (grupo TR, n=10) e os não praticantes (grupo NTR, n=10). Para a aferência da qualidade de vida foi utilizada a versão brasileira do questionário genérico SF-36. A coleta de dados se deu em uma academia de ginástica de médio porte de Inhumas (grupo TR) e com moradores do respectivo bairro (grupo NTR). Para a análise dos dados, foram organizadas quatro categorias de análise, sendo os tópicos distribuídos conforme semelhança e afinidade entre eles. Para a análise estatística, utilizou-se os testes de correlação de Pearson e t de student, aceitando-se níveis de significância estatística acima de 95%. Os dados estão apresentados como média ± desvio padrão. Como resultado, encontramos que o grupo TR apresentou melhora na percepção da capacidade funcional (TR = 94,00 ± 5,16 vs. NTR = 65,50 ± 19,36; p<0,01 quando comparados os grupos), limitação por aspectos físicos (100,0 ± 0,0 vs. (85,0 ± 31,62) e no estado geral de saúde (TR = 69,40 ± 9,40 vs. NTR = 65,30 ± 18,47), com diferença estatística apenas no primeiro, assim como a atenuação na percepção da dor (TR = 76,50 ± 17,41 vs. NTR = 66,00 ± 19,82), não houveram diferenças para os itens de mensuração psicossocial. Portanto, concluímos que a prática de treinamento resistido é uma atividade com potencial de melhorar a qualidade de vida em adultos e idosos saudáveis.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.contributor.referee1Braga, Pedro Paulo Pereira-
dc.publisher.departmentFaculdade de Educação Física e Dança - FEFD (RG)pt_BR
dc.publisher.courseEducação Física (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:FEFD - Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCCG - Educação Física - Gabriel Assis Silva - 2017.pdf2,08 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons