Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11487
Tipo do documento: Tese
Título: Modificação corporal extrema: o choque e o protesto de uma mercadoria estranha
Título(s) alternativo(s): Extreme body modification: the shock and protest of a strange goods
Autor: Tomazett, Luciano de Castro
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8177787593940834
Primeiro orientador: Baptista, Tadeu João Ribeiro
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/9002864045147738
Primeiro coorientador: Garcia, Lênin Tomazett
Currículo Lattes do primeiro coorientador: http://lattes.cnpq.br/7997689235632345
Primeiro membro da banca: Resende, Anita Cristina Azevedo
Segundo membro da banca: Souza, André Barcellos Carlos de
Terceiro membro da banca: Soares, Renata Leite
Quarto membro da banca: Vilarinho Neto, Sissilia
Quinto membro da banca: Baptista, Tadeu João Ribeiro
Resumo: O objeto deste trabalho é a modificação corporal extrema, a qual utiliza as técnicas de tatuagens, piercings, alargadores, implantes, escarificações e nulificações para produzir alterações radicais no corpo. Almejamos compreender como a modificação corporal extrema sintetiza as forças sociais que produzem o estranhamento e tensionam a perda da humanidade. Uma vez que não há um termo para se referir às pessoas que realizam a modificação corporal extrema, propomos uma nova palavra, denominando os adeptos como mutassomaxiados. A base teórica é formada por Marx, Lukács, Gramsci, Benjamin e Marcuse. O processo determinante do objeto investigado é a ruptura entre o sujeito e o objeto, em que os homens passaram a vender o trabalho na forma histórica de força de trabalho, assegurada pela propriedade privada. Nesta forma de organização social, o trabalho alienado depositado no objeto se esconde nele mesmo, desenvolvendo o fetiche e a reificação, produzindo a referida perda da humanidade – que não é plena e definitiva, mas é ampla e substancial –, pois, o homem perde o objeto, a si e ao outro, comprometendo a sua própria constituição. Neste contexto histórico, compreendemos que a modificação corporal extrema é um protesto contra estas perdas que limitam e empobrecem a condição humana, utilizando uma aparência estranha à hegemônica, capaz de provocar o choque e o espanto, denunciando a desumanização da vida, se desumanizando, ou seja, buscando uma imagem corporal que se aproxime do não humano. Entretanto, de maneira contraditória, a modificação corporal extrema é uma mercadoria, carregando em si mesma todos os fundamentos constitutivos do capitalismo, contra o qual se protesta e despreza, nos revelando que estamos diante de um objeto que expressa as perdas e a precarização do humano, mas também é um movimento de resistência e enfrentamento ao estabelecido.
Abstract: The object of this work is extreme body modification, which uses the techniques of tattoos, piercings, stretchings, implants, scarifications and nullifications to produce radical changes in the body. We aim to understand how extreme body modification synthesizes the social forces that produce strangeness and tension the loss of humanity. Since there is no term to refer to people who perform extreme body modification, we propose a new word, calling fans as mutassomaxiados. The theoretical basis is formed by Marx, Lukács, Gramsci, Benjamin and Marcuse. The determinant process of the investigated object is the rupture between the subject and the object, in which men began to sell labor in the historical form of the labor force, ensured by private property. In this form of social organization, the alienated work deposited in the object hides in itself, developing the fetish and reification, producing the aforementioned loss of humanity – which is not complete and definitive, but is wide and substantial –, because, man loses the object, itself and the other, compromising its own constitution. In this historical context, we understand that extreme body modification is a protest against these losses that limit and impoverish the human condition, using an appearance that is foreign to the hegemonic, capable of provoking shock and astonishment, denouncing the dehumanization of life, dehumanizing themselves, or that is, seeking a body image that approaches the non-human. However, in a contradictory way, extreme body modification is a commodity, carrying within itself all the constitutive foundations of capitalism, against which it protests and despises, revealing to us that we are facing an object that expresses the losses and precariousness of the human, but it is also a movement of resistance and facing the established
Palavras-chave: Modificação crporal extrema
Alienação
Desumanização
Protesto
Choque
Extreme body modification
Alienation
Dehumanization
Protest
Shock
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Educação - FE (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Educação (FE)
Citação: TOMAZETT, Luciano de Castro. Modificação corporal extrema: o choque e o protesto de uma mercadoria estranha. 2021. 142 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11487
Data de defesa: 10-Mar-2021
Aparece nas coleções:Doutorado em Educação (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Luciano de Castro Tomazett - 2021.pdf2,54 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons