Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4943
Tipo do documento: Dissertação
Título: Experiências de parto e violações aos direitos humanos: um estudo sobre relatos de violência na assistência obstétrica
Título(s) alternativo(s): Childbirth experience and violation of human rights: a study on violence reports in obstetric care
Autor: Amorim, Mariana da Costa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5493315313368855
Primeiro orientador: Dalla Déa, Vanessa Helena Santana
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4747115499551611
Primeiro coorientador: Campos, Cerise de Castro
Currículo Lattes do primeiro coorientador: http://lattes.cnpq.br/9109822142576433
Primeiro membro da banca: Dalla Déa, Vanessa Helena Santana
Segundo membro da banca: Dias, Luciana de Oliveira
Terceiro membro da banca: Barbosa , Maria Alves
Resumo: As intervenções direcionadas à mulher em trabalho de parto frequentemente têm sido interpretadas como violentas ou desumanizadas, especialmente quando a assistência obstétrica desconsidera a autonomia e o protagonismo da parturiente como condutora do trabalho de parto. Diante disso, o respeito, a dignidade e a livre-escolha no parto são questões de direitos humanos e necessitam de discussões sob a ótica da interdisciplinaridade. Esta é uma pesquisa descritiva, autorizada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Goiás, cujo parecer está registrado com o nº 738.671. O objetivo foi analisar os relatos das 33 participantes que passaram pela experiência de parto nos anos de 2009 a 2014, verificar a incidência de violação de direitos e discutir com base na perspectiva dos direitos humanos e da interdisciplinaridade. Busquei, ademais, discutir sobre a violência e a heteronomia feminina no momento do parto, a ausência de dignidade e os direitos humanos. Também procurei identificar o significado de “parto digno” no grupo pesquisado, a expectativa das mulheres em relação ao parto e as experiências vivenciadas. A visão foucaultiana de poder e do discurso na linha teórica de Fairclough contribuíram para uma análise qualitativa dos relatos. Ao final deste estudo, foi possível observar que 45% das participantes passaram por situações injustas durante o parto ou que despertaram sentimento de revolta com relação à dignidade e aos direitos humanos. Os resultados demonstraram que as participantes que sofreram violência no parto convivem com consequências temporárias ou permanentes. Para as entrevistadas, o sentido de humanização esteve fortemente relacionado ao fato de se sentirem acolhidas, informadas, seguras e próximas da equipe médica. O significado de “parto digno” para o grupo de mulheres pesquisadas compreendeu palavras como ‘tratamento acolhedor’, ‘respeito’, ‘informação’, ‘segurança’, ‘autonomia’, ‘direitos assegurados’ e ‘presença de acompanhante’.
Abstract: Medical interventions used in women during childbirth have often been interpreted as violent or dehumanized, especially when obstetric care disregards the autonomy and the role of the mother as in control of labor. Thus, respect, dignity, and free will in childbirth are human rights that require an interdisciplinary debate. The Research Ethics Committee of Universidade Federal de Goiás has approved this descriptive study under Decree 738 671. This paper aimed at analyzing the reports of 33 participants who underwent childbirth experience from 2009 to 2014, assessing the occurrence of violation of rights, and promoting an interdisciplinary debate grounded on human rights. Moreover, we sought to discuss violence against women, their conformity at birth, and lack of dignity and human rights. We also sought to determine the study group’s concept of "decent labor", along with women’s expectations on childbirth and their actual experiences. Foucault's view of power and discourse in the theoretical line of Fairclough has contributed to the qualitative analysis of the reports. According to this study, 45% of the participants were involved in unreasonable situations during childbirth, or in situations that caused a sense of outrage, for lack of dignity and human rights. Results show that, when experiencing violence in childbirth, participants have had temporary or permanent after-effects. Interviewed women strongly relate humanization with feeling embraced, informed, safe and close to the medical team. When asked to give meaning to "decent labor", the group of interviewees brought forth terms such as 'warm treatment', 'respect', 'information', 'safety', 'autonomy', 'guaranteed rights' and 'the presence of a partner.'
Palavras-chave: Direitos humanos
Parto
Violência obstétrica
Human rights
Childbirth
Obstetric violence
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DIREITO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos (PRPG)
Citação: AMORIM, M. C. Experiências de parto e violações aos direitos humanos: um estudo sobre relatos de violência na assistência obstétrica. 2015. 97 f. Dissertação (Mestrado em Direitos Humanos) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4943
Data de defesa: 10-Ago-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Direitos Humanos (PRPG)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Mariana da Costa Amorim - 2015.pdf953,19 kBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons