Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5382
Tipo do documento: Dissertação
Título: Globalização em paisagens linguísticas e usos de marcadores discursivos: policentricidade, escalas e metapragmática nas práticas linguísticas de jovens urbanos e quilombolas
Título(s) alternativo(s): Globalization in linguistic landscapes and uses of discursive markers: policentricity , scales and metapragmatics in language practices of urbans quilombolas youth
Autor: Batista, Thaís Elizabeth Pereira
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3598593932159256
Primeiro orientador: Pinto, Joana Plaza
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8100370294969259
Primeiro membro da banca: Pinto, Joana Plaza
Segundo membro da banca: Keating, Maria Clara
Terceiro membro da banca: Rees, Dilys Karen
Resumo: Este trabalho se trata de uma investigação sociolinguística, sob o ponto de vista da interação, dos usos de marcadores discursivos de jovens em dois diferentes contextos no estado de Goiás, tendo como pano de fundo os efeitos da globalização (BLOMMAERT, 2010) nas supostas diferenças entre os grupos. Um grupo de jovens é de uma área urbana de médio porte, a cidade de Anápolis – GO. O outro grupo de jovens é de uma área quilombola (remanescentes de escravos resistentes), em uma área rural, mas com muitos índices de globalização, incluindo turismo ecológico e turismo de herança (Heller, 2010; Jaffe, 2011). Ambos os contextos estão localizados em área de bioma cerrado no centro-oeste do Brasil. O objetivo do estudo é discutir de que maneira índices de globalização interferem nas paisagens linguísticas (BLOMMAERT, 2014), ou seja nos materiais escritos e semiotizados disponíveis nos espaços públicos e como tais aspectos podem afetar a interação. O interesse em investigar um campo em área urbana e outro em área rural parte das afirmações que as teorias sociolinguísticas de orientação variacionista, bastante difundidas no Brasil, fazem sobre as diferenças das características linguísticas dos locais com base nessa dicotomia. No entanto, os campos selecionados para a análise mostram que as práticas linguísticas de jovens podem convergir em muitos aspectos o que possibilitou uma análise dos usos linguísticos com base em diferenças e semelhanças nos regimes interacionais. Esta análise possibilita uma forma de tratamento dos campos que considera as diferenças, mas que encontra pontos de semelhança no contínuo dos dois campos. Para tal investigação foram adotadas ferramentas teóricas inerentes à sociolinguística interacional, pautando-se em estudos sob a ótica da investigação sociolinguística em contextos complexos, ou sociolinguística da mobilidade (BLOMMAERT, 2010) que considera como elementos globais como formas complexas de migração e disseminação de informações em grande velocidade por meio da internet, por exemplo (BLOMMAERT, 2010; JACQUEMET, 2005) têm importância nas práticas linguísticas das pessoas, possibilitando a essas práticas grande complexidade e imprevisibilidade. Conceitos como escalas, policentricidade (BLOMMAERT, 2010) e metapragmática (SILVERSTEIN, 1993) serão utilizados como ferramentas teóricas para a análise conjunta dos dados gerados em imagens, paisagens linguísticas, e dos dados registrados em áudio da interação cotidiana (RAMPTON, 2003).
Abstract: This work is a sociolinguistic research, from the view of the interaction, of the uses of discourse markers by young in two different contexts in the state of Goiás, with the effects of globalization as background (BLOMMAERT, 2010) on supposed differences between the groups. A group of young people is from a urban area of medium sized, the city of Anápolis - GO. The other group of young people is from a quilombo area (remnants of resistant slaves) in a rural area, but with many globalization indexes, including eco-tourism and heritage tourism (HELLER, 2010; JAFFE, 2011). Both contexts are located in area of cerrado biome in the Midwest of Brazil. The scope of this study is discuss how globalization indexes interpose on the linguistic landscapes (BLOMMAERT, 2014), in other words in written and semiotized materials availables in public spaces and how those aspects can affect the interaction. The concern in investigating a field in a urban area and the other in a rural area comes from statements that the sociolinguistic theories of variationist orientation, very propagate in Brazil, make about the differences of language characteristics of the spaces based on this dichotomy. However, the fields selected for the analysis show that the language practices of young may converge in many ways which enabled analysis of linguistic uses based on differences and similarities in interactional patterns. This analysis provides a way of handling fields that considers the differences, but finding points of similarity in the continuous between the two fields. For such research were adopted theoretical tools intrinsic interactional sociolinguistics, based on studies from the perspective of sociolinguistic research in complex contexts, or mobility sociolinguistic (BLOMMAERT, 2010) considering how global elements as complex forms of migration and dissemination of information at high speed through the Internet, for example (BLOMMAERT, 2010; JACQUEMET, 2005) have importance in linguistic practices of the people, enabling those practices great complexity and unpredictability. Concepts such as scales, polycentricity (BLOMMAERT, 2010) and metapragmatics (SILVERSTEIN, 1993) will be used as theoretical tools for the joint analysis of the data generated through images, linguistic landscapes, and the data recorded on audio of everyday interaction (RAMPTON, 2003).
Palavras-chave: Globalização
Paisagens linguísticas
Marcadores discursivos quilombolas
Metapragmática
Globalization
Linguistic landscapes
Discursive markers
Quilombolas
Metapragmatic
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: BATISTA, T. E. P. Globalização em paisagens linguísticas e usos de marcadores discursivos: policentricidade, escalas e metapragmática nas práticas linguísticas de jovens urbanos e quilombolas. 2015. 141 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5382
Data de defesa: 26-Out-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Thaís Elizabeth Pereira Batista - 2015.pdf6,81 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons